Bolsas Santander +Perto

“Agarrem esta oportunidade”

Inês Oom de Sousa, administradora do Santander em Portugal, explica os objetivos visados pelo projeto-piloto no novo programa de bolsas do banco. FOTO: D.R. / Santander Universidades
Inês Oom de Sousa, administradora do Santander em Portugal, explica os objetivos visados pelo projeto-piloto no novo programa de bolsas do banco. FOTO: D.R. / Santander Universidades

Depois das centenas de bolsas de estudo Santander Universidades já criadas, o banco lança projeto-piloto para co-financiar o alojamento dos estudantes

As Bolsas Santander +Perto, que acabámos de lançar, tocam em dois grandes pilares da Banca Responsável: apoiar a Educação e apoiar a Sociedade.

Com este programa estamos a promover a igualdade de oportunidades dos jovens universitários no acesso à Educação, independentemente do seu contexto socioeconómico. É acelerar o chamado “elevador social”. Não perguntamos de onde vêm, mas para onde querem ir, porque sabemos que a falta de habitação é um dos obstáculos mais difíceis de ultrapassar no acesso à universidade.

Mas os jovens que conseguirem estas Bolsas têm uma dupla responsabilidade: não só têm que dar o seu melhor por eles próprios, como qualquer bom aluno, mas também têm a responsabilidade de agarrar esta oportunidade, por todos os outros, com igual talento mas que não tiveram a sorte e a oportunidade de chegar até aqui. O país precisa de jovens ambiciosos, criativos, dinâmicos e com uma visão inspiradora.

Ajudar os jovens universitários a “subir mais andares” na empregabilidade, na capacidade de inovação e no empreendedorismo, faz também parte da essência das Bolsas Santander +Perto. Os 50 convénios com instituições de Ensino Superior, ou as 1.700 bolsas que atribuímos a estudantes, anualmente, são outras tantas peças desta nossa aposta decisiva na promoção do talento.

Queremos ter um papel ativo no crescimento sustentável e inclusivo da sociedade portuguesa, reduzindo as desigualdades sociais e económicas – ao mesmo tempo que apoiamos o desenvolvimento das comunidades onde estamos presentes.

Boa sorte para o novo ano letivo!

Inês Oom de Sousa
Administradora do Santander em Portugal

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: José Carmo/Global Imagens

ISEG estima queda do PIB entre 8% e 10% este ano

António Mota, fundador da Mota-Engil. Fotografia: D.R.

Mota-Engil é a única portuguesa entre as 100 maiores cotadas do setor

António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim. Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

Lucros da Corticeira Amorim caíram 15,1% para 34,3 milhões no primeiro semestre

“Agarrem esta oportunidade”