Primus Inter Pares 2018

Prémio que revela os líderes de amanhã já está a aceitar candidaturas

Tomás Virtuoso, Marta Ribeiro e Frederico de Andrade, 3.º, 1.ª e 2.º classificados da 14.ª edição do Prémio Primus Inter Pares. FOTO: Pedro Rocha/Global Imagens
Tomás Virtuoso, Marta Ribeiro e Frederico de Andrade, 3.º, 1.ª e 2.º classificados da 14.ª edição do Prémio Primus Inter Pares. FOTO: Pedro Rocha/Global Imagens

Desde 2003 que o troféu oferece MBA e pós-graduações aos cinco finalistas melhores classificados. Marta Silva Pereira, da Nova SBE, venceu em 2017

– Já estão abertas as inscrições para o prémio que todos os anos descobre cinco novos líderes do futuro. O Primus Inter Pares, que anda há quase década e meia a distinguir os melhores finalistas de Gestão, Economia e Engenharia em Portugal, já começou a preparar a edição de 2018. Até 23 de fevereiro, os interessados em demonstrar e pôr à prova as suas capacidades de liderança podem candidatar-se no site dedicado do Prémio Inter Pares.

Os candidatos têm de ter nacionalidade portuguesa, menos de 26 anos e frequentar o último ano de um mestrado, na sequência de uma licenciatura num dos três cursos já referidos – Gestão de Empresas, Economia ou Engenharia. As candidaturas devem ser apresentadas através de ficha de inscrições própria existente na página www.primusinterpares.universia.pt .

Sob o escrutínio do júri do prémio não vão estar só os conhecimentos técnico-teóricos dos candidatos – a sabedoria evidenciada servirá apenas para os apurar (ou não!) para o grupo dos 24 finalistas eleitos de entre o total dos concorrentes. De seguida, os aspirantes a líderes do futuro terão de demonstrar o que valem durante um fim de semana em que passarão por provas físicas e de grupo, pensadas para testar as suas competências de liderança, criatividade, superação de imprevistos e espírito de equipa, entre outras.

Só cinco candidatos chegarão à derradeira entrevista final, com o júri do Prémio Primus Inter Pares. Pela frente vão encontrar figuras bem informadas e de vasto currículo enquanto gestores e líderes no seu campo de atuação: a presidir ao júri estará Francisco Pinto Balsemão, presidente do grupo Impresa, detentor do semanário Expresso e da cadeia televisiva SIC; a vice-presidência será assumida por António Vieira Monteiro, vice-presidente do Banco Santander Totta; os restantes membros do júri serão Estela Barbot, economista e conselheira do FMI, Raquel Seabra, diretora no grupo Sogrape e vencedora da 2.ª edição do Primus Inter Pares e António Vitorino, advogado e administrador em várias empresas.

Como relataram os finalistas da edição de 2017, a “conversa” com o Júri pode ir do tom mais formal ao mais descontraído e abordar um leque variado e, por vezes, inesperado de temas. “Não há preparação possível”, reconheceram à margem da cerimónia de gala do passado dia 6 de junho, quando ainda se aguardava o anúncio dos vencedores. “A entrevista final com o júri foi, acima de tudo, uma conversa muito interessante. Discutimos assuntos desde a situação política italiana e o futuro da Europa, até aos meus artistas e restaurantes preferidos”, confessou Marta Silva Pereira, jovem gestora da Nova School of Business and Economics, que acabaria por se sagrar a primus inter pares de 2017.

Os cinco finalistas da edição de 2017, Duarte Barosa, Tomás Virtuoso, Marta Pereira, Frederico de Andrade e Francisco Teles, de pé atrás, com Pinto Balsemão, presidente do júri, ao centro, e os restantes jurados, sentados à frente (da esq. para a dta.): António Vieira Monteiro, Estela Barbot, Raquel Seabra e António Vitorino. FOTOS: D.R.

Os cinco finalistas da edição de 2017, Duarte Barosa, Tomás Virtuoso, Marta Pereira, Frederico de Andrade e Francisco Teles, de pé atrás, com Pinto Balsemão, presidente do júri, ao centro, e os restantes jurados, sentados à frente (da esq. para a dta.): António Vieira Monteiro, Estela Barbot, Raquel Seabra e António Vitorino. FOTOS: D.R.

Os três vencedores terão direito a frequentar um MBA – financiado pelo Programa Santander Universidades – em escolas de negócio nacionais ou internacionais. As instituições envolvidas são: o IESE, em Barcelona; o IE Business School, em Madrid; o Lisbon MBA (Universidade Católica e Universidade NOVA); o ISCTE; o ISEG; e a Porto Business School. Os 4.º e 5.º classificados receberão um curso de pós-graduação.

O Prémio Primus Inter Pares é uma iniciativa conjunta do Banco Santander Totta e do semanário Expresso, que tem por “objetivo contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de rigor, de profissionalismo e de excelência na gestão de empresas, através da concessão de oportunidades privilegiadas para formação académica complementar”, lê-se em comunicado.

 

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

JOÃO RELVAS/LUSA

Costa explica amanhã orçamento aos deputados do PS

Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Gastos com educação e rendas de casa no interior dão bónus de 700 € no IRS

Outros conteúdos GMG
Prémio que revela os líderes de amanhã já está a aceitar candidaturas