Solidariedade

Dedicação a outrém de aluno do IPCA mereceu Prémio Valor

Pedro Magalhães (ao centro) junto ao seu colega, José Pedro Gomes, no dia em que recebeu o Prémio Valor/Santander, junto de Maria José Fernandes, presidente do IPCA, e Nuno Vieira, representante do Banco Santander Totta
Pedro Magalhães (ao centro) junto ao seu colega, José Pedro Gomes, no dia em que recebeu o Prémio Valor/Santander, junto de Maria José Fernandes, presidente do IPCA, e Nuno Vieira, representante do Banco Santander Totta

Em reconhecimento pelo seu apoio a um colega com paralisia cerebral, o IPCA distinguiu Pedro Magalhães com um galardão no valor de mil euros

– Terminou o curso há dois anos mas a faculdade onde estudou nunca o esqueceu. Assim que ocorreu aos responsáveis do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) distinguir alguém pelo seu valor ético e solidário, Pedro Magalhães foi logo o primeiro a saltar à memória. O Prémio Valor/Santander Universidades, atribuído no dia 19 de dezembro – data em que a instituição completou 23 anos –, reconheceu o seu altruísmo e dedicação a um colega com paralisia cerebral no seu percurso académico.

“O Prémio Valor IPCA/Santander Universidades, na quantia de 1.000 euros, é atribuído a Pedro Fernando Ramos de Magalhães que, durante o seu percurso académico no IPCA, mostrou um comportamento exemplar com a sua atitude de apoio e ajuda ao próximo”, foi dito durante a cerimónia de entrega do troféu.

Uma ajuda que, segundo o comunicado da instituição – mais tarde reiterado ao telefone pelo professor Agostinho Silva, vice-reitor do IPCA –, se traduziu numa “colaboração e apoio permanente, incondicional e fundamental ao aluno José Pedro Gomes, quer durante a licenciatura, quer como membro integrante da equipa de desenvolvimento do projeto IUseIt”. “Sem o apoio do Pedro Magalhães talvez o Zé Pedro [Gomes] não tivesse concluído a licenciatura com sucesso”, afirmou o professor Agostinho Silva.

Pedro Magalhães e José Pedro Gomes terminaram as suas licenciaturas em Engenharia e Sistemas Informáticos no ano letivo de 2014/15. A paralisia cerebral de que padece desde criança deixou José Pedro Gomes com dificuldades motoras e de linguagem, o que não o dissuadiu de prosseguir os estudos no ensino superior. Movimentando-se numa cadeira de rodas e escrevendo graças a um capacete personalizado, com uma vareta que lhe permite usar um computador, José Pedro tem, ainda assim, uma autonomia limitada. Foi aí que o apoio do colega Pedro Magalhães foi essencial.

“Eles não se conheciam, mas o Pedro Magalhães passou a acompanhar o Zé Pedro e a apoiá-lo em tudo, até nas refeições”, contou Agostinho Silva. E ainda bem que o fez, já que, o seu apoio permitiu que ficasse demonstrado que o José Pedro Gomes “é um aluno brilhante, com excelentes notas”, sublinhou o vice-presidente do IPCA.

“O prémio foi atribuído este ano pela primeira vez, na sequência do mecenato científico e cultural firmado com o Santander Totta”, contou Agostinho Silva, que avançou que a iniciativa é para continuar. “Não sei se todos os anos. Vai depender dos exemplos que formos encontrando”, concluiu.

O Premio Valor/Santander Universidades visa reconhecer e distinguir ações e comportamentos de estudantes com valor ético, solidários e altruístas, com benefícios diretos para as pessoas e sociedade, contribuindo igualmente para o desenvolvimento das competências pessoais. A sua 1.ª edição foi agora atribuída “como reconhecimento por uma amizade verdadeira e por uma disponibilidade e entrega ao próximo, e pelo espírito de solidariedade e altruísmo” de Pedro Magalhães. Na entrega do prémio esteve a presidente do IPCA, Maria José Fernandes, e o representante do Banco Santander Totta, Nuno Vieira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

JOÃO RELVAS/LUSA

Costa explica amanhã orçamento aos deputados do PS

Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Gastos com educação e rendas de casa no interior dão bónus de 700 € no IRS

Outros conteúdos GMG
Dedicação a outrém de aluno do IPCA mereceu Prémio Valor