formação

Nova diretiva da UE leva 4.000 funcionários do Santander Totta “à escola”

FOTO: D.R.
FOTO: D.R.

Dez universidades de todo o país receberão os bancários, que vão provar o que sabem sobre o novo quadro legal, cuja entrada em vigor ocorrerá em 2018.

– O Banco Santander Totta tem em curso um vasto programa de formação e exames, que teve início no princípio deste mês e vai prolongar-se até 12 de dezembro, para fazer dos seus colaboradores especialistas na regulamentação imposta pela Diretiva dos Mercados de Instrumentos Financeiros (DMIF) II, que vai entrar em vigor em 2018. Ao todo, são 4.000 funcionários que vão aprender e depois prestar provas do seu conhecimento acerca do novo quadro legal.

A formação intensiva envolve 11 módulos – que vão do impacto da DMIF II nos mercados financeiros, à prevenção de abusos de mercado e à análise financeira, entre outros – e tanto é lecionada por via eletrónica (e-learning) como em sessões presenciais na modalidade de broadcast. Realizado em parceria com o Instituto de Formação Bancária, os módulos incluem 80 horas de conteúdos pensados para o modelo de Informação (atendimento ao balcão) e 130 para o de Aconselhamento (atendimento personalizado). Os exames serão feitos em 10 universidades portuguesas, com cerca de 100 sessões programadas até terça-feira, 12 dezembro.

As instituições de ensino superior que vão receber os quatro milhares de bancários Santander Totta, são os institutos Superior Técnico e o Politécnico da Guarda, bem como as universidades do Porto, de Aveiro, de Coimbra, Nova de Lisboa, de Évora, do Algarve, da Madeira e dos Açores.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
parlamento

Lei laboral aprovada. BE, PCP e Verdes votam contra proposta do governo

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Obrigações para o retalho atraíram mais de 60 mil investidores

Francisco Lacerda, presidente dos CTT

CTT vai mesmo ter critérios de qualidade mais apertados a partir de 2019

Outros conteúdos GMG
Nova diretiva da UE leva 4.000 funcionários do Santander Totta “à escola”