entrevista

“Só o mercado e os clientes decidem o sucesso da startup”

Dirk Lehmann-A
Dirk Lehmann esteve em Cascais e deu dicas sobre como evitar que uma ideia de negócio vá parar ao "cemitério das startups". FOTO: D.R.

Criador da European Innovation Academy, Dirk Lehmann explica como se lança uma startup de sucesso.

– Dirk Lehmann, o principal mentor da European Innovation Academy (EIA), programa que está agora a decorrer pela primeira vez em Portugal, esteve no Centro de Congressos do Estoril e partilhou com 245 estudantes o seu know-how. Ao longo da sua carreira, Dirk Lehmann trabalhou em incubadoras que ajudaram a lançar startups nas mais variadas áreas de negócios. Um dia ocorreu-lhe que seria bom não ter de esperar que os jovens terminassem as suas formações académicas e começar a dar um impulso às boas ideias de negócio logo no ambiente universitário. O resultado foi a EIA, um programa de aceleração de ideias concebido especificamente para estudantes universitários. Com o Dinheiro Vivo, Dirk Lehmann partilhou alguns conselhos.

Como se evolui de uma ideia para um projeto concreto?
Quando se tem uma grande ideia, a primeira coisa que queremos é esquecê-la. A ideia é o motor de arranque, é o que faz com que se crie a primeira equipa e os primeiros apoios, mas nada mais que isso. O importante é perceber quem é o cliente e quais são os seus problemas. Quando se reconhece o verdadeiro problema, deve construir-se a solução mais pequena possível e começar a enviar os materiais. Daí em diante, inicia-se um ciclo infindável: construir, medir, aprender e repetir. É isto que vai elevar a startup aos patamares seguintes. Se isto for feito, atinge-se um modelo de negócio repetível e passível de ser medido.

O que é que dita o sucesso de uma startup?
O destino da startup não é decidido pelos investidores, nem pelos mentores e pela equipa. Só o mercado e os clientes é que decidem o sucesso da startup. São eles que vão tornar a startup num sucesso raro – ou num outro membro do cemitério das startups. Transforme a interação e a satisfação dos clientes com o seu produto em formas de medição tangíveis. Isto vai retirar os floreados da questão e vai transformar a equipa num conjunto de pessoas que se guiam por dados e estatísticas. Elimine o risco com um sistema à sua escolha e comece sempre com a questão maior e mais preocupante.

Qual o melhor conselho que pode dar ao CEO de uma startup?
Que se pergunte o porquê de querer embarcar nesta aventura, pois vai ser a coisa mais difícil que já fez na vida. Só um objetivo e uma visão clara vão permitir dar continuidade à startup quando as coisas se complicarem – e acredite, vão complicar-se. Encontre pessoas que partilhem da sua paixão e com quem ache que vai ter mais hipóteses de ser bem-sucedido. Lembre-se sempre de que a receita é mais valiosa do que qualquer investimento. Por isso, comece por construir algo que as pessoas queiram e o resto virá naturalmente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: Tiago Melo

Crédito chega às famílias mas nunca foi tão baixo para as empresas

Francisco de Lacerda, CEO dos CTT

Especuladores têm aposta de 35 milhões na queda das ações dos CTT

Foto: DR

Luta pelos cargos de topo do BCE aquece. Espanha favorita no primeiro round

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
“Só o mercado e os clientes decidem o sucesso da startup”