9 coisas que as pessoas bem-sucedidas fazem de maneira diferente

Pensar é um exercício fundamental
Pensar é um exercício fundamental

Sabe como conseguiu ter sucesso no cumprimento de alguns dos seus objetivos e noutros não? Se não sabe, está longe de se encontrar sozinho na sua confusão. Ao que parece, até mesmo as pessoas brilhantes e realizadas são bastante incompetentes quando se trata de compreender as razões de serem bem-sucedidas ou fracassarem. A resposta intuitiva - que nascemos predispostos a certos talentos e com falta de outros - é só uma pequena peça do puzzle. De facto, décadas de investigação sobre concretização sugerem que as pessoas de sucesso atingem os seus objetivos, não apenas por serem quem são, mas mais frequentemente por fazerem o que fazem.

1. Seja específico. Quando estabelece um objetivo, tente ser o mais específico possível. “Perder cinco quilos” é um objetivo melhor que “perder algum peso”, porque nos dá uma ideia clara da imagem do sucesso. Saber exactamente o que pretende concretizar mantém-no motivado até lá chegar. Além disso, pense nas ações específicas que tem de realizar para atingir o objetivo. Limitar-se a prometer que vai “comer menos” ou “dormir mais” é demasiado vago – seja claro e preciso. “Vou para a cama às dez horas nos dias de semana” não deixa espaço para dúvidas acerca do que precisa de fazer, e se o fez ou não.

2. Aproveite o momento para agir em relação aos seus objetivos. Dado que andamos quase todos muito ocupados e a fazer malabarismo com vários objetivos ao mesmo tempo, não é de surpreender que, rotineiramente, percamos oportunidades para agir em relação a um objetivo porque, simplesmente, não nos apercebemos delas. Não teve mesmo tempo para fazer exercício hoje? Nenhuma hipótese, em momento algum, de devolver aquela chamada? Atingir o seu objetivo significa segurar essas oportunidades antes que elas lhe escorreguem das mãos.

Para aproveitar o momento, decida quando e onde vai realizar cada ação que pretende, sendo o mais específico possível (“segundas, quartas e sextas vou fazer trinta minutos de exercício antes do trabalho.”) Os estudos demonstram que este género de planeamento ajudará o seu cérebro a detetar e aproveitar a oportunidade quando esta surge, aumentando em cerca de 300% as suas probabilidades de sucesso.

3. Saiba exatamente quanto caminho lhe falta percorrer. Atingir qualquer objetivo exige uma supervisão regular e honesta do seu progresso – se não por outros, por si. Se não tiver noção de como está a correr, não pode ajustar o seu comportamento nem as suas estratégias em conformidade. Verifique frequentemente os seus progressos – uma vez por semana ou todos os dias, dependendo do objetivo.

4. Seja um otimista realista. Quando está a definir um objetivo, entregue-se a todo o género de pensamentos positivos acerca das probabilidades de o atingir. Acreditar na sua capacidade de ser bem-sucedido é extremamente útil para criar e manter a sua motivação. Mas, faça o que fizer, não subestime o quanto será difícil atingir o objetivo. A maioria dos objetivos que vale a pena atingir exige tempo, planeamento, esforço e persistência. Os estudos demonstram que pensar que as coisas surgirão naturalmente e sem esforço o deixa mal preparado para o caminho que tem à sua frente, e aumenta significativamente as probabilidades de fracassar.

5. Concentre-se em tornar-se melhor e não em ser bom. Acreditar que tem a capacidade de atingir os seus objetivos é importante, mas também é importante acreditar que pode adquirir essa capacidade. Muitos de nós acreditamos que a nossa inteligência, a nossa personalidade e as nossas aptidões físicas são fixas – que, façamos o que fizermos, não podemos melhorá-las. Como resultado, concentramo-nos em objetivos que o demonstrem, em vez de desenvolvermos e adquirirmos novas capacidades.

Felizmente, décadas de pesquisa sugerem que a crença numa capacidade fixa está completamente errada – capacidades de todos os géneros são profundamente maleáveis. Aceitar o facto de que pode mudar, permitir-lhe-á fazer escolhas melhores e atingir o máximo do seu potencial. Pessoas cujos objetivos estão relacionados com ser melhor, em vez de ser bom, assimilam bem as dificuldades e apreciam tanto a viagem como o destino.

6. Tenha determinação. A determinação é o desejo de se comprometer com objetivos a longo prazo e persistir em face das dificuldades. Os estudos mostram que as pessoas determinadas obtêm mais educação formal ao longo da vida e têm médias melhores na universidade. A determinação indica quais serão os cadetes a destacar-se no seu primeiro ano extenuante em West Point.

A boa notícia é que, se você não é particularmente determinado neste momento, pode fazer alguma coisa por disso. As pessoas com falta de determinação acreditam mais que, simplesmente, não possuem as capacidades inatas que as pessoas de sucesso têm. Se isto descreve a maneira como pensa… bem, não há maneira de o dizer delicadamente: está enganado. Como mencionei antes, esforço, planeamento, persistência e boas estratégias são o que realmente nos leva a ter êxito. Aceitar esta ideia não só o ajudará a ver-se a si mesmo e aos seus objetivos com mais exatidão, mas também fará maravilhas pela sua determinação.

7. Construa o seu músculo da força de vontade. O seu “músculo” do autocontrolo é como qualquer outro músculo do seu corpo – quando não é muito exercitado, enfraquece. Mas quando lhe permite exercício regular, dando-lhe bom uso, tornar-se-á cada vez mais forte e mais capaz de o ajudar a atingir os seus objetivos.

Para construir a força de vontade, empenhe-se num desafio que lhe exija fazer algo que, honestamente, preferia não fazer. Deixar de comer petiscos gordurosos, fazer cem abdominais por dia, sentar-se direito, tentar aprender uma nova capacidade. Quando der por si com desejos de ceder, desistir ou simplesmente deixar de se ralar – não o faça. Comece apenas com uma atividade e faça um plano para lidar com os problemas à medida que ocorrerem (“Se tiver vontade de um petisco, comerei uma peça de fruta fresca ou três frutos secos.”) Ao princípio será difícil, mas vai-se tornando mais fácil e isso é que é importante. À medida que a sua força aumenta, pode adotar mais desafios e exercitar mais o seu autocontrolo.

8. Não desafie o destino. Por mais forte que o seu músculo da força de vontade se torne, é importante respeitar sempre o facto de que há limites e, se o forçar demasiado, pode esgotar-lhe a energia. Não tente duas tarefas muito difíceis ao mesmo tempo, se o puder evitar (como fazer dieta e deixar de fumar).E não se coloque no caminho do perigo – muitas pessoas têm demasiada confiança na sua capacidade para resistir às tentações e, em resultado, colocam-se em situações em que estas abundam. As pessoas de sucesso conseguem não tornar as coisas mais difíceis do que já são.

9. Concentre-se no que vai fazer, e não no que não quer fazer. Quer mesmo perder peso, deixar de fumar ou conter o seu mau génio? Planeie como vai substituir os maus hábitos por bons, em vez de se concentrar apenas nos maus hábitos. As pesquisas sobre supressão de pensamentos (por exemplo, “Não pensar em ursos brancos!”) demonstram que tentar evitar um pensamento torna-o ainda mais ativo na nossa mente. O mesmo é verdade quando se trata de comportamentos – ao tentar não realizar um mau hábito, o hábito é reforçado, em vez de quebrado.

Se quer mudar os seus hábitos, pergunte-se, “Que vou fazer em vez disso?” Por exemplo, se quer controlar o mau feitio e deixar de perder as estribeiras, pode fazer um plano deste género: “Se começar a sentir-me zangado, respiro fundo três vezes para me acalmar.” Usando a respiração profunda para se acalmar em vez de ceder à raiva, o seu mau hábito enfraquecerá ao longo do tempo, até desaparecer completamente.

Espero que, depois de ler estas nove coisas que as pessoas de sucesso fazem de maneira diferente dos outros, tenha ficado com algumas perspetivas sobre o que tem feito bem até agora. Mais importante ainda, espero que consiga identificar os erros que o têm feito sair dos carris e que, a partir de agora, use esse conhecimento para seu proveito. Lembre-se que não precisa de se tornar uma pessoa diferente para se tornar uma pessoa com mais sucesso. O que importa não é o que você é, mas o que você faz.

Heidi Grant Halvorson, Ph.D., é diretora associada do Motivation Science Center na Business School da Universidade de Columbia e é autora dos livros “Nine Things Successful People Do Differently” e “Focus: Use Different Ways of Seeing the World to Power Influence and Success”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

9 coisas que as pessoas bem-sucedidas fazem de maneira diferente