Emprego

Altran está a contratar em Portugal

Rodrigo Maia, chief technology officer e responsável pela Tecnologia e Inovação da Altran Portugal.
Rodrigo Maia, chief technology officer e responsável pela Tecnologia e Inovação da Altran Portugal.

Multinacional procura candidatos com doutoramento concluído há menos de dois anos em engenharia. Há 15 vagas.

A consultora multinacional Altran está neste momento a contratar 15 recém doutorados para os escritórios no Porto, Lisboa e Fundão.

A tecnológica procura candidatos com doutoramento concluído há menos de dois anos em engenharia informática, engenharia eletrotécnica, engenharia aeroespacial, engenharia física ou engenharia biomédica. Os profissionais serão integrados nas equipas de R&D e equipas de projetos de elevada complexidade, para clientes internacionais, nas áreas de sistemas cyber-físicos, condução autónoma, infotainment, inteligência artificial, entre outras.

“Com o nosso crescimento em Portugal, a nossa necessidade de talento altamente especializado tem vindo a crescer e é necessário continuarmos a apostar na transferência de conhecimento produzido pelas universidades e politécnicos para o tecido empresarial”, afirma Rodrigo Maia, chief technology officer e responsável pela Tecnologia e Inovação da Altran Portugal.

Segundo explica Rodrigo Maia, “o contributo dos doutorados será crucial para dar resposta aos vários projetos de alta complexidade da Altran” e dar seguimento ao plano de crescimento nacional e internacional. Além disso, “pretendemos continuar a reforçar o contacto e parceria com as universidades, para o desenvolvimento de competências dos recém formados e futuros profissionais nas áreas tecnológicas”, remata.

Os potenciais interessados podem candidatar-se através das plataformas de recrutamento no website da Altran.

Com mais de 45 mil colaboradores em mais de 30 países, a Altran está presente em Portugal desde 1998 e conta com mais de 1800 colaboradores nos três escritórios no Porto, Lisboa e Fundão.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Altran está a contratar em Portugal