Educação

Como ensinar o seu filho a ser um líder de sucesso

family-1784371_1920

Fizemos 5 perguntas à neurocientista Pamela Billig Melo Carpes e ficámos a saber que a chave para criar futuros líderes é dar aos filhos muita atenção e carinho na primeira infância

A neurocientista brasileira Pamela Billig Melo Carpes esteve em Portugal para explicar como se ensinam as competências de liderança e se formam os profissionais do futuro. A professora de Psicologia na Universidade Federal de Pampa (Unipampa) veio a convite da organização Professional Women’s Network Lisbon (PWN Lisbon) e da Abreu Advogados para abrir a 6.ª edição do Programa de Liderança Neurociências em Ação que se dirige “às mulheres em funções de middle management”, explica Mónica Rodrigues administradora da PWN Lisbon e diretora do Programa de Liderança.

Este ano, o foco foi abrir os olhos dos pais para como é fundamental a primeira infância e a escolaridade pré ensino básico no desenvolvimento de líderes de sucesso. Os estudos mostram que há uma ligação entre a primeira infância e a vinculação parental na promoção de uma vida adulta segura, equilibrada e emocionalmente inteligente.

Pamela Billig Melo Carpes, investigadora na área do stress, memória e comportamento, falou sobre o futuro das profissões e a importância do “aprender a aprender.” Estuda a neurociência aplicada à educação, já que, como diz, “para os professores é importante entender como o cérebro aprende e os neurocientistas também têm muito a aprender com os professores.”

O seu trabalho é entender o que acontece no cérebro quando aprende e quando não aprende. Neste processo pretende também encontrar formas para proteger o cérebro de perdas de memória. Em entrevista ao Dinheiro Vivo deixou pistas para os pais.

Quais as caraterísticas do profissional do futuro?

O mundo mudou muito e o cérebro parece estar a mudar com o mundo. Não na perspetiva da anatomia, mas na forma como o cérebro se relaciona com o mundo. As crianças de hoje têm uma relação muito mais amigável com as tecnologias. Esta relação desenvolve-se cedo e com muita naturalidade. Estas crianças, que são os profissionais do futuro, têm o conhecimento disponível a partir de um clique. A grande diferença para os profissionais é saber selecionar o que é relevante perante tanto conhecimento disponível na internet.

Como podemos preparar os nossos filhos para as exigências das profissões do futuro?

Acho que precisamos de preparar os nossos filhos para o mundo. O mundo de hoje é globalizado, todos têm acesso à informação. O que se torna cada vez mais importante é saber selecionar as informações, ter sentido crítico. Hoje as pessoas têm opinião sobre tudo e sobre os outros, sem muitas vezes conhecerem, de fato, o tema. Outro aspeto que acho que pode ser diferenciador para os profissionais do futuro é a capacidade de relacionar-se com os outros. As crianças relacionam-se cada vez mais virtualmente e menos presencialmente, o que também pode vir a ter impacto no seu desempenho profissional.

Como se ensina o “aprender a aprender”?

Aprender é um processo muito íntimo. Um aspeto importante para que uma aprendizagem significativa aconteça é o interesse. O nosso cérebro interessa-se por aprender aquilo que lhe parece ter significado ou utilidade para nossa vida. Uma dica que deixo é procurar a aplicabilidade daquilo que se quer aprender. São vários os fatores que determinam se a aprendizagem ocorrerá e como ocorrerá: o nível de atenção, os aspetos emocionais e sociais ou a qualidade do sono, por exemplo. A empatia por quem ensina também é fundamental.

Existem por aí muitas dicas de como aprender melhor através de métodos e ambientes de estudo, mas o que eu aconselho é conhecer-se a si próprio, entender qual o método de estudo que lhe permite compreender melhor. Este pode ser diferente de pessoa para pessoa. Muitos aprendem escrevendo, outros lendo, outros precisam de rever o conteúdo de diversas formas diferentes. Entender como eu aprendo melhor é autoconhecimento. Como pais podemos estimular nossos filhos a experimentar métodos diferentes de estudo e a tentar coisas novas.

Quais os cuidados parentais essenciais no início da vida para o desenvolvimento da aprendizagem e memória?

Nos cinco primeiros anos da criança, o cérebro é especialmente plástico, ou seja, é suscetível às mudanças mediante os estímulos que recebe. A nutrição é importantíssima para que o cérebro se desenvolva bem, mas o cuidado, o carinho e a atenção que os pais dão aos filhos é igualmente essencial.

Que estudo pode partilhar sobre este tema?

Pesquisas com animais de laboratório realizadas pelo meu grupo [o Physiology Research Group de que é lider] e por outros, têm demonstrado que o cérebro de animais que foram privados destes cuidados [parentais] no início da vida, mesmo que tenham outras necessidades satisfeitas, como as nutricionais, mostram uma diminuição nos níveis de proteínas importantes para a plasticidade cerebral. Essas alterações têm de tal forma impacto que os animais do estudo apresentam deficits de aprendizagem e memória que persistem até à vida adulta. O cuidado parental é essencial. Esse cuidado implica não só a satisfação das necessidades básicas da criança, mas também a atenção, o carinho e o amor dados. Cada vez mais os estudos da Neurociência e da Psicologia têm demonstrado o quanto isto é importante.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Patrick Drahi lidera grupo Altice. Fotografia: Filipe Amorim/Global Imagens

Altice “culpa” demora da decisão dos reguladores para fim do negócio com TVI

Fotografia: D.R.

Prisa vai analisar “todos os cenários” para Media Capital

Outros conteúdos GMG
Como ensinar o seu filho a ser um líder de sucesso