formação

Como o coaching generativo pode ajudar as empresas

robert dilts

Robert Dilts, consagrado especialista em Programação Neurolinguística vai estar em Portugal para uma ação de formação em coaching generativo

Robert Dilts é um dos maiores especialistas mundiais em Programação Neurolinguística (PNL) e chega a Lisboa no dia 27 de fevereiro para uma ação de formação em coaching generativo, promovida pela CEGOC. Mas o que é o coaching generativo? Robert Dilts explica, em entrevista por escrito ao Dinheiro Vivo.

  • O que é o coaching generativo, e como pode mudar a forma como as pessoas vivem e trabalham?
  • Se há uma palavra que poderíamos usar para descrever o que é o coaching generativo é “criatividade”. Generatividade é na realidade um tipo especial de criatividade. Muitos tipos de criatividade envolvem essencialmente reorganizar ou melhorar de forma incremental algo que já existe. Generatividade é criatividade na qual se está a fazer algo completamente novo que não existia anteriormente.

Há alturas na vida de qualquer sistema, de cada indivíduo, casamento, família, cultura e negócio, em que aquilo que foi feito no passado não vai ajudar a lidar com o que está a acontecer no presente nem a alcançar aquilo que as pessoas querem e precisam para o seu futuro. Situações a precisar de mudança generativa podem incluir crescimento acelerado numa nova área; ou uma crise em que é absolutamente claro que aquilo que funcionou antes já não vai resultar nem levá-lo à fase seguinte; ou numa transição, quando se está entre uma mudança muito profunda em que já não se é o que se era, mas ainda não se está onde se vai estar, e é preciso lidar com muita incerteza, risco e perigo potencial.

Para conseguir gerir estas situações, temos de abordar o processo de mudança de uma nova forma. O coaching generativo é sobre isso. O coaching generativo providencia um poderoso processo de seis passos através dos quais indivíduos e equipas podem entrar num estado criativo, de alta performance; clarificar a direção desejada de mudança e crescimento; construir um caminho crítico para o futuro desejado; transformar obstáculos e interferências em recursos, implementar práticas que sustentem e aprofundem as mudanças.

Os seis passos do coaching generativo são suportados numa variedade de ferramentas e procedimentos que tornam possível a qualquer um criar um futuro melhor. A pergunta crucial que se faz no coaching generativo é: “o que é que quer criar na sua vida?”. E depois providencia apoio para que as pessoas encontrem os recursos internos para fazer acontecer.

Ao lidar com empresas como a Appel, Microsoft e outras, quais lhe parecem ser os principais problemas e desafios no que diz respeito às pessoas no mundo corporativo?
É preciso conseguir trabalhar com outros. Não se consegue sozinho; é preciso assumir responsabilidade e prestar contas , mas é essencial que não se tente sobre controlar a situação; é preciso conseguir lidar com circunstâncias desafiantes e em mudança sem as subestimar ou ser demasiado dramático; é preciso inovar quando for preciso para crescer, mas não ficar obcecado com a mudança pela simples mudança.

Como é que as organizações podem beneficiar da PNL?
A PNL é um dos componentes fundamentais aplicado no coaching generativo. O PNL é frequentemente referido como a “psicologia do sucesso” e o “estudo da excelência”, porque é baseado em modelação, identificando e estruturando o quão eficientemente as pessoas pensam, comunicam e agem. De facto, a PNL tem sido extensivamente aplicada ao estudo de uma variedade de atividades relacionadas com as empresas e gestão que respondem aos problemas e desafios listados na resposta anterior. Estas aplicações incluem a identificação de estratégias eficazes e ferramentas para comunicação, vendas, negociação, desenvolvimento e treino organizacional, a gestão da inovação e criatividade, seleção e recrutamento e liderança. Estas capacidades e habilidades foram modeladas a partir de líderes eficazes, gestores e equipas de todo o mundo e apoiam as pessoas para comunicarem eficazmente e atingirem objetivos no contexto de trabalho com outras pessoas. Envolve estabelecer rapport, desenvolver capacidades de liderança, fixar resultados e lidar com ambas as dimensões de tarefa e relacionamento, dentro da dinâmica de uma equipa. As organizações beneficiam destas capacidades numa variedade de formas, incluindo uma liderança mais eficaz, equipas mais alinhadas, competentes e com performance mais elevada e estratégias de gestão da mudança mais eficientes: maior motivação, inovação e resiliência e níveis mais elevados de satisfação de membros da equipa e clientes.

Quais os fatores-chave para um líder de sucesso?
Os fatores-chave necessários para um líder de sucesso envolvem quatro capacidades fundamentais: líderes eficientes são capazes de expressar uma visão, influenciar outros para a ação para se alcançarem resultados, encorajar a cooperação entre a equipa e ser um exemplo.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Como o coaching generativo pode ajudar as empresas