Devo mentir no currículo para tentar conseguir o emprego?

Lembre-se que a mentira tem perna curta
Lembre-se que a mentira tem perna curta

Diz a sabedoria popular que mais depressa se apanha um mentiroso que um coxo. A máxima não deve ser esquecida quando se apresentar a uma empresa. O currículo deve ser real, e não deve querer ser mais do que é realmente. Ainda assim, se não se considera suficientemente bom para uma determinada função, diga apenas meia verdade.

Como? Tudo o que entra para o currículo deve ser real. Não pode nem deve inventar experiências que não tem nem formações a que nunca assistiu – até porque o empregador pode tentar confirmá-las e sairá mal visto. Sabia que os currículos deviam ser submetidos a um teste? Mentir no currículo pode trazer mais problemas que oportunidades, mas existem truques que pode aproveitar, para ocultar pontos menos positivos, como lembra Julie Gray, autora do livro How to Get a Job with the right CV, ao Expansíon.

(Aprenda a fazer um bom currículo em dez passos)

Como explica, há pequenas coisas que não tem de contar: porque saiu do emprego anterior, porque está desempregado há dois anos, porque não terminou esta ou aquela atividade, porque demorou 7 nos para terminar o curso.

Os desfasamentos laborais são normais. Mas pode evitá-los se, por exemplo, em vez de colocar o dia, mês e ano em que realizou algo, colocar apenas o mês e o ano. A autora refere que pode também inverter a ordem do que escreve: primeiro os conhecimentos, depois a experiência. Assim, as datas não irão assumir tanta importância, e o futuro empregador terá algo mais interessante para ver antes de perceber que não trabalha há três anos.

A chave está em omitir aspectos que não sejam tão relevantes para a atividade que virá a desenvolver e que, ao mesmo tempo, podem manchar a sua imagem perante o futuro patrão.

Há dez conselhos, que a autora refere ao Expansíon, e que não pode esquecer:

1 – Salte as partes mais difíceis de contar, não minta sobre elas;

2 – Todos os problemas têm uma história por detrás, conte-a de forma positiva;

3 – Aperfeiçoe o seu percurso com uma versão sincera e sentimental;

4 – O currículo deve estar ajustado à realidade;

5 – Dê o lado positivo;

6 – Explique a sua história de forma a ser entendido, mas mantenha a discrição;

7 – As explicações devem ser naturais para que o currículo pareça sincero;

8 – Esta sinceridade deve ser utilizada em toda a trajetória profissional;

9 – Sempre que algo seja omitido, escreva uma história e argumente-a;

10 – A preparação do currículo – carta de apresentação – é uma boa forma de preparar as entrevistas;

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

Investimento público dispara à boleia de estradas e gastos militares

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Devo mentir no currículo para tentar conseguir o emprego?