recrutamento

Dona da AKI quer abrir 18 lojas e recrutar mil colaboradores até 2021

O grupo ADEO, dono das lojas AKI e Leroy Merlin, anunciou que quer abrir mais 18 lojas e contratar mil colaboradores em Portugal até 2021

O grupo ADEO, dono das lojas AKI e Leroy Merlin, anunciou hoje que quer abrir mais 18 lojas e contratar 1.000 colaboradores em Portugal até 2021, iniciando um processo de convergência entre as várias marcas.

“O plano de expansão para os próximos anos continua ambicioso, prevendo-se, até 2021, a abertura de mais 18 lojas e o recrutamento de mais de 1.000 colaboradores”, disse, em comunicado, o grupo.

Em simultâneo, a ADEO está a reorganizar a sua estrutura empresarial com o objetivo de “acelerar o desenvolvimento de diferentes modelos de negócio e ser mais competitiva”.

Em resposta à Lusa, o grupo esclareceu que o processo de convergência entre a AKI e a Leroy Merlin visa ainda “aumentar a capacidade de resposta para as necessidades atuais do mercado e do consumidor”, não adiantando o valor do investimento associado a esta opção.

A ADEO referiu ainda que não está decidido se vai proceder à eliminação de uma das marcas, sublinhando que essa opção será definida até ao final do terceiro trimestre deste ano.

“O processo de convergência para uma estrutura empresarial única encontra-se em curso, envolvendo ambas as empresas, com apoio de entidades externas. Será um processo de transformação e integração gradual a realizar durante os próximos três anos, seja a nível da estrutura central, seja a nível das lojas”, indicou.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O antigo secretário de Estado da Energia e da Inovação, Henrique Gomes, fala perante a Comissão Parlamentar de Inquérito ao Pagamento de Rendas Excessivas aos Produtores de Eletricidade, na Assembleia da República em Lisboa, 23 de janeiro de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Henrique Gomes disse que “Mexia é osso duro de roer” e teve de sair da REN

A área alimentar gerou vendas históricas de quatro mil milhões de euros. Fotografia: D.R.

Sonae atinge vendas recorde de 6,3 mil milhões com impulso do Natal

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Universidade Católica prevê menos crescimento em 2018 e 2019

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Dona da AKI quer abrir 18 lojas e recrutar mil colaboradores até 2021