Emprego

Este formato de currículo dá-lhe dez vezes mais hipóteses de ser contratado

Curriculo

Os CV em papel estão a ficar fora de moda. Ter um currículo em formato vídeo é a nova forma de conquistar os recrutadores.

Os candidatos que apresentam um currículo em formato de vídeo têm dez vezes mais hipóteses de ser contratados face à concorrência que ainda apresenta o histórico profissional em papel.

Leia também: Estas profissões não exigem ‘canudo’ e pagam salários acima da média

A conclusão é de um estudo da Unono, uma agência digital de recrutamento direccionada para a população mais jovem (os chamados Millennials), e que tem como base as contratações feitas no último ano através da Unono e os mais de 50 mil candidatos registados na plataforma.

Segundo a perspetiva de quem recruta novos talentos, um currículo em formato vídeo garante uma visão geral mais ampliada do candidato, sobretudo ao nível da comunicação, expressão e apresentação.

“Todos os dias contacto com responsáveis pelos processos de recrutamento e seleção das empresas que me indicam que é claro que o vídeo CV traz uma vantagem competitiva. Há competências que são mais evidentes neste formato do que num CV. Ter a certeza que um candidato tem as soft skills certas, acelera o processo de recrutamento”, explica Edgar Campos, Country Manager da Unono em Portugal.

Leia também: 10 profissões com emprego perto dos 100% em Portugal

Desde que a plataforma digital de emprego foi criada que inclui este formato de apresentação (o vídeo) no seu processo de candidatura, com vista a facilitar o processo tanto para os candidatos como para quem recruta. “Com esta facilidade no contacto entre as duas partes, a Unono digitaliza mais um contacto que só seria possível no contexto de entrevista, poupando tempo a quem recruta”.

Se quer apostar em remodelar o seu currículo para um formato mais moderno, o responsável dá-lhe ainda alguns conselhos, como “olhar a câmara como se estivesse a falar com outra pessoa, ser natural e assertivo é essencial para conseguir passar uma mensagem autêntica e descontraída”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Este formato de currículo dá-lhe dez vezes mais hipóteses de ser contratado