portos

Exportadores afetados com greves dos estivadores

Porto de Lisboa. (Fotografia: Steven Governo/LUSA)
Porto de Lisboa. (Fotografia: Steven Governo/LUSA)

Os estivadores do SEAL estão em greve ao trabalho suplementar até ao início do próximo ano.

Os maiores armadores internacionais como a Maersk e a Hapag-Lloyd, suspenderam as escalas em Lisboa devido à greve ao trabalho suplementar marcada até ao próximo ano pelo Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) estando, avança o Jornal de Negócios.

Os exportadores internacionais estão a sofrer um aumento dos custos consequentemente. A paralisação está marcada para oito portos portugueses mas apenas Lisboa e Setúbal estão a sofrer este impacto.

O presidente do Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) pediu no início do mês, no parlamento, que se investigue o que se passa no setor portuário e com os trabalhadores da estiva que são perseguidos devido à opção sindical.

“Gostaríamos que investigassem a fundo tudo aquilo que se passa – não é para lhes dar razão –, mas para que os trabalhadores neste país não sintam que estão a ser perseguidos só porque têm direito a uma livre opção sindical”, disse António Mariano, na Comissão de Trabalho e Segurança Social, onde foi ouvido a pedido do Bloco de Esquerda.

Os estivadores do SEAL estão em greve ao trabalho suplementar, inicialmente agendada até 08 de outubro, mas a mesma foi prolongada até ao início do próximo ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Exportadores afetados com greves dos estivadores