portos

Exportadores afetados com greves dos estivadores

Porto de Lisboa. (Fotografia: Steven Governo/LUSA)
Porto de Lisboa. (Fotografia: Steven Governo/LUSA)

Os estivadores do SEAL estão em greve ao trabalho suplementar até ao início do próximo ano.

Os maiores armadores internacionais como a Maersk e a Hapag-Lloyd, suspenderam as escalas em Lisboa devido à greve ao trabalho suplementar marcada até ao próximo ano pelo Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) estando, avança o Jornal de Negócios.

Os exportadores internacionais estão a sofrer um aumento dos custos consequentemente. A paralisação está marcada para oito portos portugueses mas apenas Lisboa e Setúbal estão a sofrer este impacto.

O presidente do Sindicato dos Estivadores e da Atividade Logística (SEAL) pediu no início do mês, no parlamento, que se investigue o que se passa no setor portuário e com os trabalhadores da estiva que são perseguidos devido à opção sindical.

“Gostaríamos que investigassem a fundo tudo aquilo que se passa – não é para lhes dar razão –, mas para que os trabalhadores neste país não sintam que estão a ser perseguidos só porque têm direito a uma livre opção sindical”, disse António Mariano, na Comissão de Trabalho e Segurança Social, onde foi ouvido a pedido do Bloco de Esquerda.

Os estivadores do SEAL estão em greve ao trabalho suplementar, inicialmente agendada até 08 de outubro, mas a mesma foi prolongada até ao início do próximo ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

fotografia: Luís Costa Carvalho

Corticeira Amorim investe oito milhões e inaugura nova fábrica nos EUA

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Exportadores afetados com greves dos estivadores