Riqueza

Estes milionários já tiveram milhões mas perderam tudo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Cantores, atores ou atletas são exemplo de carreiras bem pagas mas que acabaram por perder tudo. Veja quem são na fotogaleria.

Fazer uma fortuna de milhões não é tarefa fácil nem está ao alcance de todos. Há carreiras de sucesso que são sinónimo de dinheiro a multiplicar-se ao fim do mês. Os valores excêntricos pagos a algumas estrelas como cantores, atores e pugilistas dão a sensação de que o dinheiro vai durar para sempre.

Leia também: 10 países que eram pobres e ficaram ricos

Mas não é bem assim. Quanto mais se tem mais se gasta e estas personalidades são exemplo disso. Gastos extravagantes, investimentos de milhões falhados e divórcios caros são alguns dos motivos que levaram estes famosos a perder tudo. Veja na fotogaleria quem são.

 

 

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, da Administração e do Emprego Público, Maria de Fátima Fonseca (E), dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (2-E), do Orçamento, João Leão (2-D), e do Tesouro, Álvaro Novo (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Conheça as principais medidas do Orçamento do Estado para 2019

O ministro das Finanças, Mário Centeno (C), acompanhado pelos secretários de Estado, dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes (E), do Orçamento, João Leão (2-D), e o Adjunto e das Finanças, Ricardo Mourinho Félix (D), fala durante conferência de imprensa sobre a proposta do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), realizada no Salão Nobre do Ministério das Finanças, em Lisboa, 16 de outubro de 2018. Na proposta de OE2019, o Governo estima um crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,2% no próximo ano, uma taxa de desemprego de 6,3% e uma redução da dívida pública para 118,5% do PIB. No documento, o executivo mantém a estimativa de défice orçamental de 0,2% do PIB no próximo ano e de 0,7% do PIB este ano. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Dos partidos aos sindicatos, passando pelo PR, as reações ao OE 2019

Outros conteúdos GMG
Estes milionários já tiveram milhões mas perderam tudo