Felicidade

Qual é o seu Plano A? 23 estratégias para alcançar o sucesso

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Alcance "o maior dos objetivos da existência humana: viver uma vida mais feliz e mais bem-sucedida" com estas 23 estratégias.

Com o objetivo de o levar a alcançar “o maior dos objetivos da existência humana: viver uma vida mais feliz e mais bem-sucedida”, Marco Meireles, consultor e speaker nas áreas da Liderança, Alto Desempenho e Felicidade, lançou recentemente “O Plano A”, um livro que traz consigo algumas das “fórmulas mágicas” para uma vida feliz.

“O Plano A” resulta de uma investigação científica em busca de um caminho que todos possamos tomar para chegar à felicidade e à mestria. Marco Meireles concluiu, no entanto, que não existe uma fórmula milagrosa mas que há estratégias, fáceis de integrar no nosso dia-a-dia, que produzem resultados com impacto na motivação e alegria de viver do ser humano. Uma boa noite de sono, uma alimentação saudável e a prática de exercício físico são três dos exemplos que completam este plano estratégico.

“O segredo da felicidade é aprendermos a entrar no fluxo no máximo de tarefas e situações possível”

Citando Mark Twain, Marco Meireles refere no seu livro que “os dois dias mais importantes da sua vida são o dia em que nasceu e o dia em que se descobre porquê”.

O mais recente livro do autor de “Esqueça tudo o Que Sabe”, é um modelo racional e objetivo que contém um programa de sete semanas com 23 estratégias e resultados garantidos. No seu quinto capítulo – “Rumo à Excelência” – Marco Meireles explica-lhe como atingir o auge.

Em primeiro lugar, tem de perceber que para ter sucesso a sua primeira preocupação deve ser desafiar-se. A primeira escada que terá de subir para chegar à mestria é, segundo o autor, o fluxo. Este, por sua vez, passa por se desafiar constantemente, o desejo de desafio intelectual é a melhor forma de prever produtividade. Um dos estudos explicados na obra mostra que “os cientistas motivados por este desejo intrínseco registaram significativamente mais patentes do que aqueles cuja principal motivação residia no dinheiro”.

Por este motivo, as empresas mais vanguardistas concedem liberdade aos seus funcionários para moldarem os seus horários e o plano de trabalho de modo “a executarem as tarefas de uma forma que lhes facilite a entrada de fluxo”.

Uma das maiores fontes de frustração no local de trabalho é a desadequação entre o que as pessoas têm de fazer e o que sabem de facto fazer. Quando o que têm de fazer excede as suas capacidades, o resultado é a ansiedade; quando está aquém das suas capacidades, é o aborrecimento”, descreve o consultor.

Entre os vários elementos do fluxo, o leitor sente que está nessa fase quando apresenta metas claras, ou seja, sabe o que realmente importa e sabe qual é o seu propósito; quando não tem medo de falhar, pois, num estado de fluxo, está demasiado envolvido para estar preocupado em falhar, sabe o que tem para fazer e faz; quando o que importa é o presente e está concentrado no que está a fazer no momento.

“Cada vez mais o processo de auto desenvolvimento é uma necessidade. Há alguns anos atrás (…) conseguíamos ver pessoas nos mesmos empregos, uma vida inteira, a fazerem as mesmas coisas. Isso acabou. Hoje a exigência é exponencial. Se estagnar é ultrapassado e deixa de ser competitivo. O seu valor de mercado baixa.”

“O segredo da felicidade é aprendermos a entrar no fluxo no máximo de tarefas e situações possível”, conta Marco Meireles. Para experienciar o fluxo basta desenvolver os seus talentos intrínsecos e paixões guardadas, assim, ao encontrar os seus propósitos, entra no caminho da mestria. Se investir nos seus hobbies atuais, procurando continuamente mais conhecimento sobre as habilidades que não possui e praticar deliberadamente essa atividade vai evoluir e, quem sabe, eles não se tornem a sua atividade profissional. Por ser algo que realmente o apaixona, caso invista tempo no seu hobby, vai “garantidamente” destacar-se, “alcançar a excelência e, mais importante, viver entusiasmado e feliz”, explica o autor.

Não se deve comparar a outrem, os top performers conseguem sê-lo porque se dedicam continuamente e não porque tentam ser como os outros, comparar-se só lhe trará infelicidade. Primeiro tem de perceber se compreende os fundamentos da atividade que quer iniciar, depois trabalhe no próximo passo mesmo que este lhe pareça mais complicado e, por fim, perceba o que está a faltar e vá limando as suas dificuldades ao longo do tempo, “o que parece luta e frustração é, na maioria das vezes, desenvolvimento de competências e crescimento. O que parece um fracasso é normalmente a fundação do sucesso” afirma o consultor que desafia qualquer um a encontrar o seu hobby.

A resiliência é outro dos fatores importantes para conseguir chegar ao sucesso. As pessoas resilientes são aquelas que tendem a atingir a mestria, “a mudar a história e a deixar a sua marca no mundo”. O que distingue este tipo de pessoas é a forma como estas enfrentam a realidade. Para obter os nossos objetivos precisamos de firmeza e aceitação incondicional da realidade, isto é, em situações adversas, não devemos ter um pensamento cor-de-rosa porque pode ser “desastroso”. Em adição, deve-se criar significado a partir das dificuldades, perceber em que medida ficaremos mais fortes, ao invés de nos vitimizarmos e perguntarmos “porquê eu?”. Quando o desastre acontece é importante também improvisar e ser criativo.

“A excelência não é uma corrida que possa ser ganha. É um processo que pode e deve ser abraçado.”

É verdade que inicialmente pode encarar a mestria como uma fonte de frustração. Porém, esta é, essencialmente, uma fonte de fascínio. “Enquanto perseguir a mestria nunca correrá o risco de se desinteressar”, visto que, encontrará desafios e, por isso, irá garantir a sua felicidade.

Dê a si próprio autorização para errar, esta é a melhor forma de aprender e, por conseguinte, de alcançar o sucesso. A ansiedade em ser perfeito é o que interfere com o seu caminho para a excelência, tente melhorar passo a passo só assim irá apreciar tanto “o caminho como o destino”.

“Cada vez mais o processo de auto desenvolvimento é uma necessidade. Há alguns anos atrás (…) conseguíamos ver pessoas nos mesmos empregos, uma vida inteira, a fazerem as mesmas coisas. Isso acabou. Hoje a exigência é exponencial. Se estagnar é ultrapassado e deixa de ser competitivo. O seu valor de mercado baixa. Tanto a sua atratividade, como a empregabilidade desaparecem. Em vez de entregar valor vai ser visto como um custo.”

Mesmo que as suas competências sejam boas, se não as for desenvolvendo, deixa de ter valor no mercado muito rapidamente, como tal, é importante que se continue a desafiar e tente alcançar a mestria. “A excelência não é uma corrida que possa ser ganha. É um processo que pode e deve ser abraçado.”

Veja quais são os pontos-chave para alcançar o sucesso na nossa fotogaleria.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(DR)

Revolut. “O produto viral” já tem 300 mil utilizadores em Portugal

Paulo Macedo, presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos. 
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Paulo Macedo: Aumento de comissões na CGD rondará os 2% em 2019

Mário Centeno e Pierre Moscovici. Fotografia: EPA/ARIS OIKONOMOU

Bruxelas com reservas sobre esboço pede plano atualizado

Outros conteúdos GMG
Qual é o seu Plano A? 23 estratégias para alcançar o sucesso