Impulso Jovem tornou-se mais simples. Saiba como

ng3090636

Depois de alterar em março a abrangência do Impulso Jovem –
mais pessoas elegíveis, mais regiões abrangidas e mais entidades
promotoras -, o governo veio agora torná-lo mais simples.

O programa passa, assim, a poder apoiar a empregabilidade dos jovens
através de quatro vias: Estágios Emprego, com a diminuição dos
custos associados à contratação de jovens, através do reembolso
da taxa social única e do estímulo 2013; apoio ao empreendedorismo
como uma alternativa ao trabalho por conta de outrem e apoio à
formação e qualificação profissional.

A ideia do governo é que o Impulso Jovem possa abranger 120 mil
pessoas até aos 30 anos de idade que estejam sem emprego. “Esta
missão de combate ao desemprego jovem é absolutamente prioritária
para o governo”, afirmou hoje, na apresentação do programa o
ministro Álvaro Santos Pereira, acrescentando que este “flagelo
social tem de ser combatido de forma mais eficaz envolvendo também a
sociedade civil”.

Um programa mais simples

Os seis programas de estágios existentes até agora serão
fundidos num único programa de forma a que as entidades empregadoras
tenham maior conhecimento das medidas existentes e possam aderir a
este sistema mais facilmente.

Estes estágios são alargados a todas as áreas de atividade em
território continental. Serão remunerados e conferem ainda apoios
no pagamento da TSU às entidades empregadoras envolvidas, esta
comparticipação pode ir dos 80% aos 100% do valor a pagar.

Novas opções para responder ao desemprego

Haverá uma resposta integrada de combate ao desemprego jovem
através de quatro eixos fundamentais.

1 – Estágios profissionais

Estes consistem na colocação de jovens qualificados no mercado
de trabalho através de estágios emprego que serão remunerados e
com duração de 12 meses, mais uma vez em todos os setores de
atividade.

2 – Apoios à contratação

Serão disponibilizadas novas ferramentas de atratividade à
contratação de jovens através da diminuição dos custos
associados à sua contratação que pode acontecer através do
reembolso da Taxa Social Única e do Programa Estímulo 2013.

3 – Apoios ao empreendedorismo

Os jovens com uma ideia de negócio também serão ajudados de
forma a que a criação de um projeto próprio possa ser uma
alternativa ao trabalho por conta de outrém.

4 – Formação Profissional

A qualificação profissional também será estimulada, sendo que
o governo pretende dar maior enforque numa aprendizagem DUAL.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

Impulso Jovem tornou-se mais simples. Saiba como