Tecnologia

InTheMarket: Aqui há mercado para jogadores e treinadores

Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol tem promovido nos últimos anos estágios para jogadores desempregados. Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens
Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol tem promovido nos últimos anos estágios para jogadores desempregados. Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens

Aplicação aceita registos de modalidades como futebol, futsal, basquetebol, voleibol e andebol

Na véspera de uma nova época, muitos jogadores e treinadores não sabem se vão ter emprego quando começarem a competição. A ITSector, para resolver esta incerteza, decidiu criar a aplicação InTheMarket, uma rede social que coloca em contacto jogadores e treinadores sem colocação.

A aplicação aceita registos de modalidades como futebol, futsal, basquetebol, voleibol e andebol. Já há mais de 2 mil perfis registados e já atletas inscritos e que passaram, no caso do futebol, pela II Liga e pelo Campeonato Nacional de Seniores.

Nestas competições, “a maioria destes atletas não é representada por agentes que os promovam, e a rede de contactos de que dispõem para encontrar um novo clube é muito limitada”, indica Cristóvão Morgado, diretor do centro de competências Mobile da ITSector, citado em comunicado.

A ferramenta desenvolvida pela empresa da cidade do Porto permite também que cada perfil, de forma integrada com o Facebook, possa seguir e convidar outros perfis, colocar notícias e vídeos e partilhar estes dados com outros utilizadores. Também é possível “criar e editar listas privadas de contactos e notas sobre outros utilizadores”, acrescenta Cristóvão Morgado.

A aplicação InTheMarket é gratuita e está disponível quer para as plataformas iOS (Apple) quer Android (Google Play).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

InTheMarket: Aqui há mercado para jogadores e treinadores