Trabalho

Líder da Alibaba e o trabalho: Das 12 horas por dia às 12 horas por semana

Jack Ma, fundador da Alibaba, e Elon Musk, líder da Tesla, participaram num debate na conferência mundial de inteligência artificial em Xangai, na China. (REUTERS/Aly Song)
Jack Ma, fundador da Alibaba, e Elon Musk, líder da Tesla, participaram num debate na conferência mundial de inteligência artificial em Xangai, na China. (REUTERS/Aly Song)

Jack Ma acredita que a inteligência artificial vai dar mais tempo para os seres humanos aproveitarem a vida. Mas a educação tem de "mudar bastante".

Trabalhar 12 horas por dia, seis dias por semana é “uma bênção” para a geração mais jovem. Esta foi a posição defendida em abril por Jack Ma, co-fundador do grupo chinês Alibaba. Quatro meses depois, o mesmo Jack Ma sustenta que, no futuro, os seres humanos apenas vão precisar de trabalhar quatro horas por dia, três vezes por semana, completando uma semana de 12 horas de trabalho. A culpa é da inteligência artificial.

“Nos próximos 10, 20 anos, todos os seres humanos, países e governos devem focar-se em reformar o sistema educativo, garantir que os nossos filhos encontram um emprego, com trabalho três vezes por semana, quatro horas por dia”, sustentou o gestor chinês numa conferência internacional sobre inteligência artificial que decorreu em Xangai, na China.

Sem esta mudança, contudo, “todos vamos ter um problema”, alerta Jack Ma, citado pela Bloomberg. O líder chinês entende que o sistema educativo está ultrapassado e moldado para o período industrial. Num futuro em que as máquinas poderão ser melhores do que os humanos nas tarefas repetitivas e que exigem memória, as escolas têm de ajudar as pessoas a serem mais criativas.

Jack Ma diz também que não está preocupado com o eventual desemprego criado pelas máquinas: os computadores só têm chips; os seres humanos têm o coração. É no coração que está a sabedoria.”

Elon Musk acabou por dar uma ‘achega’ ao tema, falando do projeto Neuralink, que casa o cérebro humano com a inteligência artificial: “se isto avançar, apenas precisamos de acrescentar qualquer conteúdo de forma instantânea, como nos filmes do Matrix”, sustenta o empreendedor norte-americano.

As declarações desta quarta-feira de Jack Ma são um contraponto àquilo que foi dito em meados de abril.

“Pessoalmente, penso que ter a possibilidade de trabalhar 996 é uma grande bênção”, disse Jack Ma, referindo-se ao horário das nove horas da manhã às nove horas da noite, seis dias por semana (996), numa mensagem dirigida aos funcionários da sua empresa. “Se trabalhas na Alibaba tens de estar pronto para trabalhar 12 horas por dia. De outra forma porque é que vieste para a Alibaba? Não precisamos daqueles que trabalham confortavelmente durante oito horas”, escreveu num chat da empresa nessa altura.

A declaração do homem mais rico da China deu gás aos protestos nas redes sociais, onde alguns trabalhadores trocaram exemplos do excesso de trabalho suplementar a que eram sujeitos nas suas empresas.

A polémica gerada em torno das ideias de Jack Ma foi tal, que o fundador da gigante tecnológica esclareceu, na altura, que a decisão de trabalhar horas extra deve ser do trabalhador e nunca uma imposição das empresas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Líder da Alibaba e o trabalho: Das 12 horas por dia às 12 horas por semana