Indústria

Lucro da F. Ramada mais do que quadruplica em 2017 para 56,7 milhões

F. Ramada

Fotografia: D.R.
F. Ramada Fotografia: D.R.

O resultado líquido da F. Ramada mais que quadruplicou (307,2%) em 2017, face ao ano anterior, para 56,7 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

O resultado líquido da F. Ramada mais que quadruplicou (307,2%) em 2017, face ao ano anterior, para 56,7 milhões de euros, anunciou hoje a empresa.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a F. Ramada adianta que as receitas totais subiram 15,2% para 158,2 milhões de euros e o resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações (EBITDA) cresceu 16,4% para 24,8 milhões de euros.

Os custos totais, excluindo amortizações, resultados financeiros e impostos sobre o rendimento, cresceram 15% para 113,4 milhões de euros, no período em análise.

“A atividade de aços registou um crescimento significativo do volume de negócios face a 2016, tendo sido impulsionado pelo aumento de vendas para a indústria de moldes e para o setor da construção de máquinas e equipamentos”, refere a F. Ramada, no comunicado.

A empresa refere que 2017 foi o “melhor ano de sempre da indústria de moldes, quer em termos de produção, quer em termos de exportações”, salientando que o setor da metalomecânica também registou um crescimento significativo, o qual resultou no aumento do volume de negócios das empresas portuguesas e na entrada de novos concorrentes.

A F. Ramada adianta que “está em fase final de montagem a terceira máquina que vem completar o investimento realizado para a maquinação de estruturas para moldes” e que no ano passado “ficou concluída a instalação de novos serrotes, iniciada em 2016, para aumentar a capacidade de corte e garantir 95% de nível de serviço”.

A atividade dos aços opera essencialmente no mercado português, tendo representado no ano passado 94,1% do volume de negócios da F. Ramada, com as exportações a representarem 5,9% das vendas, “revelando um crescimento sustentado nos últimos anos”.

Inglaterra, Alemanha e França são os principais destinos das exportações da F. Ramada.

No negócio de soluções de armazenagem, a empresa também registou em 2017 “um crescimento significativo do volume de negócios” face a 2016.

Nesta área, o peso do mercado externo é de 80% na faturação, tendo a Europa como principal destino.

Já as receitas totais do segmento imobiliário atingiram 6,5 milhões de euros no ano passado, um decréscimo de 0,4%.

A F. Ramada Investimentos é a sociedade-mãe de um conjunto de empresas (Grupo F. Ramada) que, no seu conjunto, exploram dois segmentos de negócios: indústria (aços, soluções de armazenagem e gestão de investimentos financeiros relativos à participações em que o grupo é minoritário) e o imobiliário, que opera na gestão de ativos imobiliários.

Na terça-feira, a Euronext anunciou que a partir de 19 de março a F. Ramada vai integrar o PSI-20, no âmbito da revisão anual do índice de referência da bolsa nacional, substituindo a Novabase.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
REUTERS/Rafael Marchante

Centeno diz que Estado poupa 100 milhões com pagamento antecipado ao FMI

Theresa May, primeira-ministra britânica, fala no parlamento britânico. 10 de dezembro de 2018. REUTERS

Brexit: May admite que risco de sair sem acordo está a aumentar

REUTERS/Eloy Alonso

CTG substitui membros do Conselho de Supervisão na EDP

Outros conteúdos GMG
Lucro da F. Ramada mais do que quadruplica em 2017 para 56,7 milhões