Não é licenciado? A UE precisa de si

Comissão Europeia
Comissão Europeia

A União Europeia está a contratar para as áreas de tradução, revisão de textos em português e tecnologias de informação e pede candidatos sem licenciatura.

Siga o Dinheiro Vivo no Facebook e receba diariamente as
ofertas de emprego

Os lugares de salário mais modesto são na área apoio a tecnologias de informação, para a Agência Europeia de Defesa (EDA), onde se oferece a possibilidade de um contrato de quatro anos com possibilidade de renovação e uma remuneração mensal indicativa de 2.457,08 euros. “O candidato deve ser nacional de um Estado-membro
participante na Agência, ter um conhecimento profundo de uma das
línguas oficiais da UE, e um conhecimento satisfatório de outra
dessas línguas, na medida necessária para cumprir as suas/seus
deveres, bons conhecimentos de inglês”, esclarece a UE. Quanto a habilitações, exige-se um nível de educação
que corresponda ao ensino pós-secundário ou secundário com
experiência relevante para o cargo, pedindo-se ainda “um
certificado pessoal de segurança”.

Se este é um lugar para o qual está habilitado e tem interesse em concorrer, apresse-se a visitar a página de empregos na UE, já que o concurso expira já no dia 27 (veja aqui como candidatar-se).

Mas há mais vagas à sua espera, noutras áreas. O Centro de Tradução dos Organismos da União Europeia, por exemplo, “convida à
apresentação de candidaturas para constituição de uma lista de
reserva para o lugar de Assistente de apoio à tradução”. As condições são semelhantes (ser cidadão de um Estado-membro, ter bons conhecimentos de uma língua da UE e conhecimentos de uma segunda e ter terminado o ensino secundário), pedindo-se, neste caso, três anos de
experiência na área de tradução – “relevante para o cargo” -, além de conhecimentos de inglês e francês.

Para esta posição, a União Europeia oferece contrato de três anos, renovável, e uma remuneração mínima indicativa de 3.397,73 euros (veja aqui como concorrer). O concurso fecha a 14 de junho.

Outra área em que a União Europeia está a contratar é a revisão de provas de língua portuguesa. O concurso prolonga-se até 10 de junho e está em causa uma remuneração mínima indicativa 3.397,73 euros. Quem recruta é o Serviço Europeu de Seleção do Pessoal (EPSO) que procura 12 revisores, “mediante a prestação de provas para a
constituição de uma reserva de recrutamento”. As condições são semelhantes aos dois concursos anteriormente referidos e as línguas nas quais é preciso ter conhecimentos satisfatórios são o português (como primeira língua), o alemão ou inglês ou francês.
Consulte aqui mais informações.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

BCP

BCP propõe distribuir 30 milhões em dividendos

Miguel Maya, CEO do Millennium Bcp.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Lucro do BCP sobe mais de 60% para 300 milhões em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Não é licenciado? A UE precisa de si