Não escorregue nas 7 perguntas obrigatórias numa entrevista de emprego

Função pública perde 22 mil funcionários

Num mercado laboral cada vez mais competitivo, as entrevistas de emprego são fundamentais no processo de selecção dos candidatos. Se ter um bom currículo pode fazer a diferença entre ser ou não chamado, um desempenho à altura durante a conversa é decisivo na conquista do lugar. Para isso, convém estar bem preparado e ser capaz de antecipar as perguntas do seu futuro patrão. Numa entrevista, explicou o chefe de equipa da Randstad Professionals ao Expansion, “são analisados comportamentos, habilidades, e sobretudo averigua-se como atuará o futuro profissional no seu dia a dia”. Eis sete perguntas incontornáveis numa entrevista.

1. O que me pode dizer sobre si? Escorregar
aqui é fácil. Pode parecer de resposta óbvia e simples, mas a verdade é que
muitos candidatos sofrem bloqueios perante uma pergunta tão ampla. Lembre-se:
está ali para conquistar um trabalho. O mais seguro é falar brevemente sobre o
seu percurso profissional, sublinhando méritos e conquistas que possam ser
úteis à exigência do cargo a que se candidata.

2. Que êxitos e fracassos
considera mais relevantes no seu percurso profissional?
Os seus fracassos não têm
necessariamente de ser um tema incómodo. Ao perguntar-lhe isto, o entrevistador
quer saber até que ponto aprendeu com os seus erros. Seja coerente na
auto-análise que faz: não exagere nas qualidades nem minimize os erros.

3. Quais os seus pontos fortes e
fracos?
Seja honesto, é isso que o entrevistador procura. Hoje em dia não basta
ser um excelente profissional, é preciso que as suas virtudes humanas e
comportamentos sobressaiam. Fale sobre os suas qualidades e explique como
contorna as fraquezas.

4. Como avalia a sua capacidade de
decisão?
Saber reagir é um fator essencial na dinâmica do trabalho. Por vezes, é
preciso decidir em cima do momento, correndo risco de estar errado. Isto assusta-o?
Mas não se iluda, é que deve fazer, até decidir com pouca informação. E um
entrevistador espera que o seu interlocutor seja uma pessoa decidida

5. Como reage perante um conflito
de trabalho?
Trabalhar em equipa é uma exigência em quase todas as áreas. Ter
capacidade de ouvir os outros, admitir erros e não misturar os campos pessoais e profissional são fatores tão importantes como dominar um dossiê altamente técnico.
Perante esta pergunta, convém mostrar abertura: saber ouvir opiniões contrárias
e mudar de opinião se for preciso.

6. E quando entra em conflito com
o seu chefe?
Não é um cenário improvável, o stress e o ritmo de trabalho tratam
de o tornar real. Mas nessa altura é preciso tacto, capacidade para dialogar e
alguma diplomacia. Afinal é seu chefe. Mostre ao entrevistador que não é uma
pessoa autoritária e que não reclama para si toda a sabedoria do mundo.

7. Quer fazer alguma pergunta?
Esta é como a primeira pergunta desta lista: há muita gente que se espalha. A resposta deveria ser sempre sim, caso contrário o entrevistador
fica a pensar que não tem interesse em saber mais sobre a empresa. É
trabalho de casa: estude a empresa, leve duas ou três perguntas preparadas.
Durante a conversa, outras surgirão. Uma regra: não começar pelas férias ou
salário, escolha temas do dia a dia da empresa, como se organizam as equipas,
por exemplo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: NUNO FOX/LUSA

Costa: “Depois deste ano nada poderá ficar como antes”

Mário Centeno, ministro das Finanças, com Pierre Moscovici, comissário europeu. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Governo promete a Bruxelas ser bom aluno em 2018

António Mendonça Mendes, secretário de Estado dos Assuntos Fiscais

Mínimo de existência acaba com IRS para 54 mil recibos verdes

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Não escorregue nas 7 perguntas obrigatórias numa entrevista de emprego