Noruega procura engenheiros

ng3091006

Com salários altos, boa qualidade de vida e as taxas de desemprego mais baixas do mundo, os países nórdicos continuam na linha da frente daqueles que pensam emigrar dentro da Europa, com a Noruega a bater recordes de receção de mão de obra estrangeira.

A Administração do Trabalho e Segurança Social norueguesa (NAV) publicou em Agosto quais as profissões mais necessárias ao país nos próximos tempos. Educação, Saúde e Engenharia estão no topo dos mais procurados.

Siga a página de Emprego do Dinheiro Vivo no Facebook e veja as notícias mais recentes

Segundo o mesmo relatório, a necessidade de importar profissionais especializados vai continuar a crescer, ainda que ligeiramente, durante 2014. A lista de profissões mais procuradas começa nos profissionais de saúde e educação e passa por engenheiros, especialistas em TI e construção de nível avançado, cozinheiros e pasteleiros e profissionais industriais de nível médio.

As regiões da costa ocidental lideram estas necessidades, e Oslo, a capital, é, pelo contrário, a zona onde pode ser mais difícil encontrar trabalho devido à taxa de desemprego mais elevada do país (3,8% contra a média nacional de 2,8%). A mesma agência refere que a maioria dos empregadores nas áreas de TI, que se incluiem na lista de falta de mão-de-obra, requerem o domínio do norueguês.

Como chegar a estas ofertas de trabalho? O mesmo organismo tem disponível um guia online para cidadãos europeus – aqui vai encontrar não só os passos necessários à mudança para a Noruega, mas também dicas sobre como adaptar o currículo a este mercado de trabalho.

Através deste sistema encontra também a maior base de anúncios de emprego oficiais. São mais de 9 mil ofertas de emprego em todas as áreas profissionais, mas estão apenas disponíveis em norueguês. O conselho para quem quer encontrar trabalhos em inglês é pesquisar diretamente através da palavra ‘english‘: a oferta continua a ser na ordem das centenas.

Embora não estando na União Europeia, a Noruega integra a rede EURES, onde também se encontra a maioria de ofertas de trabalho para residentes europeus.

Antes de partir, lembre-se que Oslo é uma das cidades mais caras do mundo. Um custo de vida que parece no entanto ser suportável pelos salários aí praticados: segundo dados da OCDE, os trabalhadores na Noruega recebem uma média de cerca de 60 mil euros anuais brutos, noutras palavras, uma média superior a 5 mil euros brutos por mês.

A este atrativo acrescem condições de trabalho invejáveis para a maioria dos europeus: por lei, os empregados têm direito a 26 dias de férias por ano (a que acresce uma semana depois dos 60 anos) e a carga horária semanal não pode ultrapassar as 40 horas. O sistema funciona de tal maneira que o empregador que não cumpra estas regras pode ser denunciado em inglês e através de um site específico online.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Noruega procura engenheiros