Emprego

Novabase está a contratar. Quer 150 jovens talentos este ano

Sede da Novabase, em Lisboa.
Sede da Novabase, em Lisboa.

O recrutamento está a ser feito a através do programa Novabase Academy. O ano passado empresa contratou 152 jovens talentos

A Novabase quer contratar este ano 150 jovens talentos, ao abrigo do Novabase Academy, programa da empresa focado na seleção e desenvolvimento de talento à saída das universidades. Engenharia informática, eletrotécnica e de computadores, informática e gestão de empresas são alguns dos perfis procurados pela tecnológica.

“Procuramos 90% de perfis técnicos e 10% de perfis funcionais. Procuramos cursos ligados às áreas de engenharia informática, engenharia eletrotécnica e de computadores, informática e gestão de empresas e afins. Sobretudo perfis com motivação para programar, aprender e crescer na Novabase”, descreve Ricardo Nunes, head of people & organization. “Procuramos também, mas em menor número, perfis para analistas funcionais, das áreas de gestão, economia”, reforça.

Um recrutamento feito junto dos estabelecimentos de ensino. “Andamos pelas principais Universidades, Politécnicos e Escolas Profissionais a atrair todo este talento, que depois são selecionados através dos nossos testes psicométricos e entrevista de avaliação. Aos eleitos apresentamos uma proposta.”

Ricardo Nunes não adianta os valores remuneratórios propostos as estes novos talentos, mas diz que as ofertas estão em linha com a média de mercado. “No que respeita ao Programa Novabase Academy, que é a porta de entrada do talento jovem para a Novabase, temos valores standard de entrada de acordo com o nível de escolaridade. Valores que estão na média de mercado.”

Leia ainda: Mercado de trabalho: As profissões mais procuradas pelas empresas este ano

Desde o seu arranque, em 2016, o Novabase Academy já integrou cerca de 1500 jovens talentos. O ano passado, o programa recebeu mais de 2500 candidaturas, tendo a tecnológica contratado 152 jovens recém-graduados, o melhor resultado dos últimos 5 anos em termos de colocação jovem na empresa. Os jovens quadros foram inseridos em diferentes áreas de negócio, como Telecomunicações, Serviços Financeiros, Governo, Transportes e Energia.

O que oferece o Novabase Academy?

“A Novabase dá a estes novos quadros acesso a uma das indústrias de maior crescimento, onde eles têm a possibilidade de integrar equipas multidisciplinares, e trabalhar em projetos e desafios inovadores e com dimensão internacional. O nosso objetivo é não só fazer da Novabase um player de referência nacional e europeu no tema da Transformação Digital, mas também torná-la, ao mesmo tempo, num local cada vez mais motivador para os jovens talentos”, diz Ricardo Nunes.

No caso da Novabase Academy, estes os jovens “têm acesso a uma formação inicial, em que durante 15 dias, estão em regime de internato num hotel fora de Lisboa. Uma preparação para o dia-a-dia dos projetos onde irão ser colocados, permitindo desta forma um primeiro ambiente controlado em que podem errar e aprender depressa.”

“Estes jovens vão estar inseridos num programa de desenvolvimento e de evolução de carreira a 3 anos com duas vertentes: uma, que lhes permite crescer em termos profissionais de forma acelerada, com acompanhamento e formação constante, e outra, que tem que ver com a evolução da componente remuneratória e do nível de carreira”, continua o head of people & organization.

Diversificar formas de recrutamento

Roadshows pelas universidades, patrocínio de eventos académicos, onde levam “palestras e workshops com o objetivo de ajudar os alunos a aprenderem alguma tecnologia “hands on” e sobretudo para que percebam o que a Novabase faz”, ou o NB@IST, no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, são algumas das iniciativas levadas a cabo pela empresa para atrair talento numa área onde há muita procura.

“O mercado de trabalho nas áreas tecnológicas é muito competitivo, mas tem também níveis de empregabilidade muito altos. No entanto, tal não significa que essa taxa reflita a qualificação necessária para responder às exigências atuais”, dizo head of people & organization da Novabase. “O recrutamento está a mudar muito e é preciso definir novas abordagens para atrair e reter talento, especialmente no setor das TI, onde há uma enorme escassez de profissionais qualificados. Este contexto traz um desafio acrescido às empresas, que têm assim que se reinventar e encontrar formas alternativas de atração e retenção de talento”, refere.

“Temos criado iniciativas diferentes para o talento, um exemplo disso é a formação de reconversão. Identificamos à saída das universidades alunos das áreas das engenharias que não aprenderam a programar, mas que tem essa motivação. Depois de selecionados, proporcionamos-lhes a formação necessária para integrarem a nossa empresa e os nossos projetos como programadores”, adianta Ricardo Nunes. “O resultado tem sido bastante positivo.”

A Novabase tem também alargado a sua procura por talento nas Escolas Profissionais, realizando ainda estágios profissionais de verão curriculares, que nos permitem conhecer melhor potenciais candidatos e dar a conhecer a Novabase. “Desta forma podermos criar uma relação de parceria a longo prazo.”

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fátima Fonseca , Secretária de Estado da Administração e Emprego Público.

Leonardo Negrão / Global Imagens

Aumentos em serviços sem processos centralizados podem ficar para março

Foto: Jorge Amaral/Global Imagens

Governo: Cabe ao regulador dos seguros avaliar idoneidade de Tomás Correia

( Paulo Spranger / Global Imagens) .

PCP quer saber o que se passa com os precários de seis laboratórios do Estado

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Novabase está a contratar. Quer 150 jovens talentos este ano