O seu colega é um bully? Aprenda a detectá-los

Tem um colega manipulador e que passa os dias a aterrorizar os restantes colaboradores? Se é esse o caso, fique a saber que o seu colega é um bully.

E estudos indicam que a situação que está a viver no seu local de trabalho não é tão incomum quanto possa parecer. Há mais quem esteja a sofrer esse inferno no emprego. Estima-se que 20% dos empregados experimentem alguma forma de bullying com regularidade, com base nos casos relatados. Mas outros estudos apontam que cerca de 50% dos trabalhadores vai sofrer alguma forma de bullying ao longo da sua carreira, de acordo com dados citados pela Fast Company.

Leia ainda: 10 pessoas tóxicas que é preciso evitar. E como

A forma de bullying mais habitual no local de trabalho é, por exemplo, não ser atribuído a um determinado colaborador qualquer função ou tarefa. Mas há colegas que, pelo seu comportamento, infernizam a vida no escritório. Um problema que, quando não atacado, pode criar um ambiente de trabalho hostil, provocando stress, problemas de saúde mental, absentismo, afetando a produtividade da equipa. Situações que ocorrem, sobretudo, em ambientes de trabalho caóticos ou pouco organizados.

Leia também: Trabalha com pessoas tóxicas? Fuja a sete pés ou aprenda a lidar com elas

Mas um bully tem certos traços de personalidade que ajudam a identificá-lo. A Fast Company listou essas características.

Saiba mais sobre o fenómeno do Bullying no local de trabalho aqui

1. Maquiavélicos, narcisistas e psicopatas

São três traços de personalidade que compõem o lado negro dos bullies, mas que, no curto prazo, também lhes garante um certo nível de sucesso no local de trabalho, já que este tipo de personalidades revela elevados níveis de confiança, capacidade de assumir riscos e carisma. “Isto permite aos bullies atuar contra os colegas através de várias táticas interpessoais como charme superficial, confrontação sem receios e forte agressividade”, escreve a Fast Company.

2. Agressivos e moralmente desligados

Um bully é tipicamente alguém agressivo, que cria menos empatia e tem um compasso moral mais desligado do que é habitual. O que não surpreende. Mais surpreendente é a escolha das suas vítimas. Um estudo levado a cabo pelos investigadores Daniel K. Linton e Jaqueline L. Power, publicado em 2013, revelou que em muitos dos casos as vítimas dos bullies no local de trabalho têm traços de personalidade semelhantes. “A grande maioria dos bullies (89,75) e muitas vítimas (41,7%) eram bullies/vítimas, operacionalmente definidos como sendo perpetradores e vítimas pelo menos uma vez por semana nos últimos seis meses”, alertam os investigadores em “The personality traits of workplace bullies are often shared by their victims: Is there a dark side to victims?”

Leia mais sobre o tema aqui

3. Confiantes, sem receios

Espelho desse lado negro, existem características positivas que permitem ao bully ser cativante. Por norma são assertivos, confiantes e não demonstram medo, qualidades valorizadas em ambiente de trabalho. Outros estudos indicam que são indivíduos que têm uma elevada inteligência emocional “o que lhes permite ler e influenciar os colegas em seu próprio benefício”, destaca a Fast Company.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Frederico Varandas, presidente do Sporting.

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Sporting vende créditos de contrato com a NOS por 65 milhões

Frederico Varandas, presidente do Sporting.

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Sporting vende créditos de contrato com a NOS por 65 milhões

Cerimónia da assinatura da venda do Novo Banco à Lone Star, no Banco de Portugal. Luis Máximo dos Santos, Donald Quintin e Carlos Costa.

( Filipe Amorim / Global Imagens )

Máximo dos Santos: “Venda do Novo Banco evitou sério prejuízo”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
O seu colega é um bully? Aprenda a detectá-los