dicas

Os truques para trabalhar melhor com este calor

Calor pode afetar a produtividade

Sabia que podem haver perdas acentuadas de produtividade acima do intervalo de 23.ºC e 24.ºC de temperatura ambiente? É verdade. "O aumento da temperatura média e a repetição mais frequente de vagas de calor representam um desafio importante em termos de adaptação às alterações climáticas", defende Luís Sousa, diretor da área de segurança no trabalho da Partner Your Serpla.

As empresas, quer desenvolvam o seu trabalho no exterior ou no interior de edifícios, devem adequar as suas estratégias de prevenção a estes desafios. Neste sentido, o responsável do Grupo Your, fundado em 2006, e que reúne todos os serviços de apoio à gestão que uma empresa (start-up, PME ou grande empresa), aponta 7 conselhos.

1. Informar os trabalhadores sobre os efeitos da alimentação na tolerância ao calor, nomeadamente evitando comer em demasia, bebidas alcoólicas, bebidas com cafeína ou açúcar. É aconselhável comer fruta e legumes;

2. Disponibilizar locais de descanso para os trabalhadores que executam trabalhos em locais com temperaturas muito elevadas;

3. Garantir que existe água disponível junto aos locais de trabalho;

4. Reduzir a temperatura dos ambientes de trabalho, apostando na ventilação natural, mecânica ou sistemas de ar condicionado;

5. Adaptar os protocolos de vigilância da saúde específica, tendo em conta a sua exposição dos trabalhadores a temperaturas elevadas;

6. Formar os trabalhadores para o reconhecimento dos primeiros sinais e sintomas causados pela exposição ao calor e os cuidados de primeiros socorros que podem aplicar nessas situações;

7. Utilizar vestuário de trabalho adequado às diferentes temperaturas.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Centeno mantém crescimento de 1,9% este ano. Acelera para 2% no próximo

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Dívida pública desce mais devagar do que o previsto

desemprego Marcos Borga Lusa

Taxa de desemprego nos 5,9% em 2020. A mais baixa em 17 anos

Outros conteúdos GMG
Os truques para trabalhar melhor com este calor