Blogues

7 dicas para para fazer do blog a sua profissão

Blogues são, cada vez mais, o espaço ideal para promoção profissional
Blogues são, cada vez mais, o espaço ideal para promoção profissional Foto: D.R.

Nos últimos anos, muitos portugueses apostaram na criação de blogues para atividade profissional, local ideal para opinião, ideias ou interesses.

Para ajudar nesta estratégia, Pedro Rebelo, formador da FLAG, vai promover, dia 2 de março, uma formação gratuita, em que ensina todos os interessados, em qualquer ponto do país. Não é preciso saber programação ou HTML.

Basta criar uma conta em WordPress ou no Blogger, configurar o blogue e começar a escrever. Entretanto, enquanto o dia da formação não chega, que pode ser acompanhada aqui, aqui ficam algumas noções que qualquer pessoa deve ter para construir a sua presença online.

  1. 1. Criar um blogue sobre o quê?

Ter um tema definido é meio caminho andado para um blogue de sucesso. Os blogues com um tema central obtêm maior sucesso, por vezes não pelo número de visitas mas pela qualidade e regularidade das mesmas. É preferível ter menos visitas mas mais interessadas no meu tema do que mais visitas que, por não se relacionarem com o blogue, o abandonam rapidamente.

2. Criar um blogue onde?

A opção dependerá essencialmente do objetivo do blogue, de quem queremos alcançar e de como nos queremos posicionar. Um blogue numa plataforma de blogues, sem customização do domínio, terá um endereço como http://omeublog.nomedaplataformaescolhida.com. Não terá custos com alojamento e provavelmente irá recorrer aos templates da própria plataforma, eventualmente com restrições de desenho e de funcionalidades mas, poderá ser o suficiente para o que se pretende inicialmente e a hipótese de evoluir mais tarde para outro sistema está sempre presente.

3. Nome e desenho do blogue

A relação direta entre o nome do blogue e o domínio do mesmo (O Blog do Dinheiro Vivo – http://blog.dinheirovivo.pt ou Pedro Rebelo – http://www.pedrorebelo.pt) é entendida pelos motores de pesquisa tal como pelos utilizadores, como uma questão de legibilidade, e quanto melhor se ler, mais valiosa é. As plataformas de blogging possuem normalmente uma ampla variedade de templates disponíveis para utilização, permitindo alguma parametrização de forma a dar a estes templates um toque mais pessoal.

4. A escrita nos blogues

Escrever para a web não é o mesmo que escrever para outros media. Um texto com parágrafos muito longos por exemplo, dá um aspeto cansativo ao artigo, mesmo que o conteúdo não o seja, e isso é o suficiente para que um visitante decida abandonar a página.

5. A importância das palavras-chave

A definição de palavras-chave, as chamadas keywords, é também um ponto que não pode ser descurado. Por exemplo, através da análise das plataformas de anúncios do Facebook ou do Twitter, podemos facilmente identificar quais as palavras mais usadas em determinado contexto e posteriormente aplicar essas palavras ao nosso artigo

6. Apresentação dos conteúdos

Na composição do texto é necessário ter em conta o número de vezes que se mencionam as palavras-chave. Poucas vezes e as mesmas poderão ser irrelevantes. Vezes a mais e os motores de pesquisa entenderão o uso excessivo como uma tentativa de os enganar e penalizará o artigo por essa razão. Também utilização de artifícios tipográficos como âncoras visuais, seja o destaque de certas palavras ou frases a bold, a utilização de listas e a criação de subtítulos, fazem com que a passagem do olhar do utilizador sobre o texto seja mais fluida e estabeleça pontos de relação entre o que já leu e o que está por ler.

7. Qual deverá ser a frequência da publicação

A frequência e regularidade na publicação de novos artigos transmite aos leitores uma ideia de ordem e coerência que os irá impelir a voltar, naquele dia, porque esperam como de costume, a existência de um novo artigo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

fotografia: Luís Costa Carvalho

Corticeira Amorim investe oito milhões e inaugura nova fábrica nos EUA

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
7 dicas para para fazer do blog a sua profissão