Português é 6ª língua na economia britânica

Estágio no Reino Unido dá salário mínimo
Estágio no Reino Unido dá salário mínimo

O português é uma das línguas mais importantes para a economia britânica. A conclusão é de um estudo do British Council, instituto cultural britânico, que considera que as línguas estrangeiras mais importantes para a sua economia nos próximos anos vão ser o espanhol, árabe, francês, chinês mandarim, alemão, o português na sexta posição, italiano, russo, turco e japonês.

“No Reino Unido devemos aceitar que falar somente inglês não é suficiente num mundo onde o multilinguismo está a tornar-se na norma”, escreve no relatório o diretor de estratégia do British Council. “Não existem dúvidas que o Reino Unido precisa de mais pessoas para falarem uma língua estrangeira – para empregabilidade, para comércio e a economia e para a nossa vida cultural”, sublinha John Worne.

Leia também: Exportar ajuda à economia. Mas exportações portuguesas têm cada vez menos tecnologia

Atualmente o português é usado como língua de trabalho na União Europeia, assim como na Organização dos Estados Ibero-americanos, a União Africana, no Mercado Comum da África Oriental e Austral, na Organização dos Estados Americanos, na Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral e na União de Nações Sul-Americanas.

O estudo salienta também que Portugal encontra-se entre o sexto destino turístico mais visitado pelos turistas britânicos em 2011, com 1,9 milhões de visitas.A importância da língua de Camões é também sublinhada devido ao facto de ser a quinta língua mais falada na internet, com 4% do total.

Para a escola britânica, outra das vantagens do português é por ser falado no Brasil, a sétima maior economia mundial, sendo responsável por 55% do PIB total da América do Sul.

No entanto, o estudo sublinha que a relação económica entre o Reino Unido e os países lusófonos está por desenvolver, com Portugal a ficar classificado na 36ª posição como destino das exportações britânicas, no valor de 2 mil milhões de euros, e o Brasil na 27ª, com 3 mil milhões.

Pode consultar aqui o estudo do British Council.

“O Brasil oferece grandes oportunidades notavelmente nos setores da energia, serviços e ciência. Mas ao todo o comércio bilateral e a relação de investimento está subdesenvolvida”, segundo agência para a promoção económica do governo britânico.

As oportunidades para empresas britânicas no Brasil são muitas, mas entrar neste mercado representa inúmeros desafios, incluindo custos elevados e a sua complexidade. Atualmente, as companhias britânicas a atuar neste mercado são essencialmente das áreas de petróleo e gás, mineração e serviços financeiros. Depois dos Jogos Olímpicos de 2012 em Londres, a realização deste evento no Rio de Janeiro em 2016 pode ser uma janela de oportunidades para companhias britânicas.

Outra das oportunidades passa pelo reforço da colaboração na área científica, incluindo a indústria farmacêutica e a energia.

O Brasil lançou também o programa “Ciência sem Fronteiras” que passa pela colocação de 10 mil estudantes universitários em instituições britânicas nos próximos anos com o objetivo de estudar assuntos de grande importância para o desenvolvimento do Brasil. Este programa deverá ter um impacto de cerca de 240 milhões de euros na economia do país.

O ministério dos negócios estrangeiros britânico anunciou também a sua intenção de aumentar o número de diplomatas que falam espanhol sul-americano e português em 20%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

No final de 2019 Estado terá mais 11 400 novos funcionários

Lucília Gao com Joana Marques Vidal no dia da sua tomada de posse como diretora do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa © DR-Ministério Público

Lucília Gago é a nova PGR. Tudo o que precisa de saber

Juan José Dolado, economista, investigador e professor universitário (Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Pior do que a precariedade vão ser os baixos salários”

Outros conteúdos GMG
Português é 6ª língua na economia britânica