Emprego

Quer ser um melhor líder? 12 truques para conseguir sê-lo

Foto: REUTERS/Sergio Moraes
Foto: REUTERS/Sergio Moraes

Quais as diferenças entre liderança tradicional e a Kaizen? Leia aqui os conselhos do instituto especializado em consultoria de excelência operacional

Foco no propósito de longo prazo: Ao contrário da liderança tradicional que se foca nos resultados de curto prazo, o líder Kaizen trabalha com o objetivo de obter resultados sustentados ao longo do tempo não se focando apenas nos resultados imediatos.

Market-in (flow & pull): O líder Kaizen antecipa as necessidades e expectativas do cliente, focando-se na antevisão do que o mercado pretende. O líder tradicional pensa que conhece a vontade do cliente, decidindo pelo cliente e agindo com base em previsões.

Otimização geral: A liderança Kaizen tem uma visão holística da organização, pelo que as alterações introduzidas têm sempre em conta o impacto do ponto de vista geral. A liderança tradicional está associada à otimização local.

Standards permitem a melhoria contínua: A liderança tradicional associa aos standards uma limitação da criatividade. A liderança Kaizen acredita nas normas como base para a consistência dos resultados sem variabilidade.

Tornar o problema visível: Numa organização com a cultura tradicional instalada há tendência para esconder o problema. Numa liderança Kaizen os problemas são encarados como tesouros, verdadeiras oportunidades de melhoria.

lampadas luz eletricidade ideia Home-Page-Hero-Image

Parar e resolver o problema: Na liderança tradicional escolhe-se muitas vezes não parar o processo. O líder Kaizen acredita que é preferível parar para resolver o problema. Os ganhos que advirão são maiores do que os prejuízos de continuar a produzir o erro.

Colaboradores enquanto ativo: A liderança tradicional encara os colaboradores como um custo. A liderança Kaizen reconhece nos colaboradores o maior ativo da empresa, sendo parte determinante no crescimento e no sucesso do negócio.

Leia também: 7 atitudes. Por exemplo, pergunte 5 vezes porquê

 

Um líder é um ativo: Na liderança tradicional, o líder é o chefe. Na liderança Kaizen o líder é ativo e inspirador, envolvendo-se com os colaboradores nas ações, sendo parte ativa na gestão e na resolução das situações. Na liderança Kaizen está instaurada a liderança pelo exemplo.

Ver por si mesmo no Gemba: Enquanto a liderança tradicional tem o hábito de gerir à distância com base na informação recebida, a liderança Kaizen está presente no local onde a ação acontece.

Porquê? Porquê? Porquê? A liderança Kaizen pergunta porquê consecutivamente para chegar à verdadeira raiz dos problemas. Não procura culpar nem julgar, característica da liderança tradicional, e consegue ver a realidade sem filtros.

Planear devagar, agir rápido: Planear rapidamente e agir devagar são princípios associados à liderança tradicional. A liderança Kaizen carateriza-se por apostar numa boa fase de planeamento de forma a assegurar uma execução rápida e eficiente.

9b046b_caracol

Todos resolvem os problemas: A liderança tradicional recorre a experts e especialistas para resolver problemas não envolvendo as equipas internas. A liderança Kaizen envolve as equipas internas na resolução dos problemas.
O Kaizen Institute é uma empresa multinacional que dá suporte às organizações no desenho e implementação de processos que permitem a melhoria contínua de forma sustentada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Quer ser um melhor líder? 12 truques para conseguir sê-lo