Ranking Financial Times: os 25 melhores MBA em 2012

Estudo abrange 70 países
Estudo abrange 70 países

O Financial Times (FT) elaborou a lista dos melhores estabelecimentos de ensino para quem deseja tirar um MBA na área da Economia. Com um mercado de trabalho cada vez mais competitive, e escasso, a formação assume contornos fundamentais para o sucesso de uma carreira professional. Daí que a frequência de um MBA se assuma como uma opção a considerar quando a valorização curricular é uma exigência.

Para participarem na elaboração deste ranking do FT, as escolas em causa devem cumprir critérios extremamente rigorosos. É obrigatória a acreditação internacional e o seu programa de estudos deve ter, pelo menos, quatro anos consecutivos de aplicação. Este ano, participaram 150 escolas de negócios, tendo sido usados dois questionários para apuramento de dados: um preenchido pelos próprios estabelecimentos de ensino e outro pelos antigos alunos, graduados em 2008.

Aqui fica a listagem do que o FT considera os 25 melhores lugares para fazer um MBA. Não há portugueses nesta lista.

1. Stanford Graduate School of Business

2. Harvard Business School

3. University of Pennsylvania: Wharton

4. London Business School

5. Columbia Business School

6. Insead

7. MIT: Sloan

8. IE Business School

9. Iese Business School

10. Hong Kong UST Business School

11. Indian Institute of Management, Ahmedabad

12. University of Chicago: Booth

13. IMD

14. University of California at Berkeley: Haas

15. Duke University: Fuqua

16. Northwestern University: Kellogg

17. New York University: Stern

18. HEC Paris

19. Dartmouth College: Tuck

20. Indian School of Business

21. Yale School of Management

22. University of Oxford: Saïd

23. National University of Singapore School of Business

24. Ceibs

25. Cornell University: Johnson

Pode consultar a lista completa de escolas citadas pelo FT aqui.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Ranking Financial Times: os 25 melhores MBA em 2012