Sabe interpretar a linguagem corporal no mundo das empresas?

ng4146201

Durante uma reunião, o seu interlocutor cruza os braços, balança as pernas, coça o nariz ou olha distraído à sua volta. Sabe interpretar estes sinais? De forma involuntária, este pode estar a transmitir-lhe uma mensagem de frieza, nervosismo, mentira ou desinteresse. A postura dos braços, das pernas, da cabeça e a expressão facial podem comunicar vários sentimentos e revelar o que não é dito de forma oral.

A linguagem corporal é uma forma de comunicação não-verbal, na qual o corpo “fala” através de gestos, expressões faciais e posturas. Os especialistas afirmam que, aproximadamente, 93% de toda a comunicação humana é de natureza não-verbal: 55% da comunicação é feita sem a utilização de palavras, ou seja, está associada a posturas, expressões faciais e gestos; e a sonoridade e a vocalização (tom de voz, ritmo e velocidade de fala) correspondem a 38% das mensagens transmitidas. Como tal, apenas 7% da sua mensagem é transmitida por meio das palavras. Surpreendido(a)?

Os profissionais podem ganhar se tiverem uma linguagem corporal adequada, podendo este ser o ponto decisivo na hora de contratações, promoções e, até mesmo, demissões. A comunicação não-verbal pode ajudá-lo(a) a ter um maior sucesso na sua área profissional, ou pelo contrário pode prejudicá-lo(a). Aliás, não é por acaso que a maior parte dos políticos recorre a consultores de imagem corporal.

Existem pequenos gestos que podem fazer toda a diferença e passar uma boa ou má impressão, durante uma entrevista ou reunião de trabalho. Convém não esquecer que formamos uma impressão de alguém ao fim de apenas três segundos. A forma como cumprimenta, mantém o contacto visual, o modo como se senta e coloca as mãos ou as expressões faciais são alguns dos gestos mais analisados. A linguagem silenciosa do corpo revela muito sobre a personalidade, o perfil profissional e nunca deve contradizer o discurso.

Os Dez Indicadores Mais Comuns da Linguagem Corporal

Já vimos que a comunicação não depende só de palavras. O certo é que expressamo-nos mais com o corpo, do que com o que é dito. O tom de voz que utilizamos pode alterar o sentido da frase, assim como os movimentos do corpo podem revelar o que realmente pretende transmitir, de forma indirecta.

Aliás, as estatísticas mostram que as pessoas que sabem controlar o tom de voz e a linguagem corporal são mais persuasivas no mundo dos negócios. Tal acontece, por que 60% a 80% da opinião que os outros fazem de si ocorre antes dos primeiros quatro minutos de conversa. Por isso, convém estar atento aos indicadores de comunicação não-verbal.

1. A proximidade

Uma boa forma de saber se uma pessoa se sente confortável consigo é reparar na sua proximidade física. Deve respeitar sempre o espaço do outro, sem o intimidar. Se a outra pessoa se desviar ou inclinar o corpo para trás, tal pode significar que se sente incomodada e o melhor será afastar-se um pouco. O ideal é manter a distância de um braço quando conversa com alguém.

2. O aperto de mão

Um aperto de mão fraco e rápido passa uma impressão de insegurança, submissão e incompetência. Por isso, tente aperfeiçoar a maneira como cumprimenta as pessoas. Para mostrar confiança, liderança e força de vontade deve dar um aperto de mãos firme, olhar directamente a pessoa nos olhos e sorrir.

3. A forma de andar

As pessoas confiantes caminham de forma destemida e com a cabeça erguida. Já as tímidas e inseguras tendem a curvar as costas, olhar constantemente para o chão e caminhar de cabeça baixa.

4. O contacto visual

Estabelecer contacto ocular com quem está a falar é importante, pois revela interesse e atenção. Encare as pessoas nos olhos. Se quiser demonstrar mais interesse, incline também o corpo e concorde com a cabeça.

5. O domínio do espaço

O poder, o estatuto e a confiança podem também ser representados pela altura e o espaço ocupado. Ao manter uma postura direita, com os ombros para trás e a cabeça erguida vai estar a transmitir uma imagem de segurança. Falar de pé com a equipa ou com os clientes revela uma postura de poder, em relação aos que estão sentados. Mover-se pelo espaço livre também contribui para essa impressão. Se ficar sentado e pretender demonstrar uma posição de liderança, um bom truque é ajustar a altura da cadeira, de forma a ficar mais alto do que os restantes participantes.

6. O tom de voz

Esteja atento à entoação, ao ritmo do discurso e às inflexões de voz. A voz pode ser um factor decisivo na forma como é percebido. As pessoas com vozes mais agudas e altas são consideradas menos empáticas, menos poderosas e mais nervosas, do que as que têm um tom de voz mais baixo, ponderado e calmo. Os indivíduos tendem a sentir-se pressionados quando alguém fala mais rápido do que eles.

7. A postura acolhedora

Manter o olhar, inclinar-se em direcção à pessoa com quem conversa e manter uma expressão tranquila contribui para que as outras pessoas adoptem uma postura mais descontraída. Se estiver tenso, procure relaxar o corpo, pois a rigidez muscular influencia a harmonia dos seus gestos e a forma como fala. Outra dica, é espelhar o comportamento do outro, adoptando os mesmos gestos, de modo a fazê-lo sentir-se em sintonia consigo.

8. Os gestos de nervosismo

Em momentos de stress e de ansiedade, as pessoas acabam por assumir um comportamento não-verbal, tal como bater os dedos na mesa, roer as unhas, mexer no cabelo ou balançar os pés. Deve respirar fundo, abrir as mãos sobre a mesa e ficar calmo, de modo a transmitir uma mensagem de confiança e domínio. Adopte gestos convidativos e movimentos relaxados.

9. O uso das mãos

Muitas vezes, os profissionais não sabem o que fazer às mãos, colocando-as nos bolsos, na cintura, a segurar o rosto ou escondendo-as, o que revela insegurança e defesa. Por outro lado, colocar as mãos ao lado do corpo, quando está de pé, ou fazer gestos abertos, tais como manter as mãos abertas e falar com as palmas para cima, demonstram confiança. Os movimentos também estão ligados ao discurso, pelo que gesticular com as mãos aumenta o poder de raciocínio, tornando-o mais claro, e ajuda a dar ênfase às palavras.

10. Os sinais de bloqueio

Quando coloca objectos entre si e o seu interlocutor está a criar uma barreira. Tal transmite uma impressão de insegurança e de ansiedade, pois este é um gesto de quem quer proteger o corpo e disfarçar o nervosismo. Segurar uma chávena na mão, cruzar os braços ou as pernas, manter os braços apoiados com as mãos fechadas ou segurar o rosto com as mãos também revela uma postura defensiva, ao criar um obstáculo entre si e os outros. Encoste-se direito na cadeira, coloque as mãos espalmadas sobre a mesa e mantenha os pés firmes no chão.

Rita Carvalho

Consultora de Comunicação e Imagem

In Styleland – Image and Communication Consulting

Blogue: www.instyleland.com

Facebook: https://www.facebook.com/InStyleland

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação do Orçamento do Estado para 2019. 16 de outubro de 2018. REUTERS/Rafael Marchante

Bruxelas envia carta a Centeno a pedir o triplo do esforço orçamental

lisboa-pixabay-335208_960_720-754456de1d29a84aecbd094317d7633af4e579d5

Estrangeiros compraram mais de mil imóveis por mais de meio milhão de euros

João Galamba (secretário de estado da energia) , João Pedro Matos Fernandes (Ministro para transição energética) e António Mexia  (EDP) durante a cerimonia de assinatura de financiamento por parte do Banco Europeu de Investimento (BEI) da Windfloat Atlantic. Um projecto de aproveitamento do movimento eólico no mar ao largo de Viana do Castelo.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Mexia diz que EDP volta a pagar a CESE se governo “cumprir a sua palavra”

Outros conteúdos GMG
Sabe interpretar a linguagem corporal no mundo das empresas?