candidatura a emprego

Salário de 485 euros? Só tem de falar mandarim, ter casa em Teerão e ser barra em Linux

ng3100683

Uma empresa de Coimbra abriu uma vaga de emprego que está disponível no site do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), para um técnico de relações públicas, masculino ou feminino.

As condições de trabalho são flexíveis, com horário não especificado e folgas rotativas. O salário é baixo: 485 euros por mês, 5 euros de subsídio de alimentação e contrato a termo certo, com duração de seis meses.

A oferta de emprego seria mais uma entre tantas se não fossem as condições de seleção dos candidatos. Por 485 euros, a empresa pretende alguém que fale português, inglês, alemão, espanhol, italiano e mandarim, e tem preferência por nativos persa/farsi. Porque uma das funções é “intérprete em negócios com outros países (nomeadamente o Irão) e relações públicas.”

O candidato deve estar disponível para “longas viagens internacionais”, em representação da empresa. Deve saber fazer trabalho de secretariado, incluindo gestão de encomendas, desalfandegamento e tradução de documentos.

Deve ainda saber introduzir informação “diretamente em base de dados e páginas web”, ter conhecimento de tarefas contabilísticas e trabalhar em ambientes Linux [sistema operativo open source].

Convém ainda que tenha “fácil acesso ao Irão”, com “habitação em Teerão”, e “contactos comprovados com empresas de peles, especiarias, materiais eletrónico e informático.”

Por 485 euros, o candidato deve ainda ter conhecimentos de programação de aplicações e bases de dados, design web, redes de comunicação, normas ISO9000 e ISO9001 e ainda contabilidade internacional. Curiosamente, pede apenas o 12º ano de escolaridade e formação profissional em comércio.

Pode ver aqui a oferta de emprego.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas agrava projeção de contração em Portugal para 9,8%

Comissão Europeia, Bruxelas (REUTERS)

Bruxelas revê estimativas. Economia da zona euro deverá recuar 8,7% em 2020

Mário Centeno


TIAGO PETINGA/LUSA

Centeno defende repensar das regras da dívida e do défice na UE

Salário de 485 euros? Só tem de falar mandarim, ter casa em Teerão e ser barra em Linux