recrutamento

Second Home procura country manager para Portugal. Paga entre 80 a 100 mil/ano

Espaço de co-work londrino abre em Lisboa entre maio e junho. Fundadores estão à procura de responsável para abrir escritório em Lisboa.

A empresa Second Home, responsável por um dos mais marcantes espaços de co-work de Londres, está de partida para Lisboa. Na bagagem traz a vontade de contratar um responsável pelo espaço em Portugal e tem entre 80 a 100 mil euros por ano para pagar à pessoa ideal, dependendo da experiência.

O anúncio de que o Second Home procurava um responsável para o espaço que abre em maio ou junho, no Mercado da Ribeira, em Lisboa, foi publicado pelos fundadores da empresa, Rohan Silva e Sam Aldenton, no Medium.

O candidato ideal deve ser fluente em inglês e, preferencialmente, também em português, ter pelo menos oito anos de experiência de trabalho, capacidade de liderança e de gestão de equipas e de comunicação em todos os canais, tal como todos os networkers naturais.

O Second Home Lisboa vai ser instalado no Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré, e contará com um espaço de eventos com capacidade para 400 pessoas e mais 100 metros quadrados zona de trabalho, que contará com um bar e uma livraria.

A empresa conta com a DST Global, a Index Ventures como principais investidores, assim como com Martin Lau (Tencent) e Tom Hulme (Google Ventures).

Segundo o Observador, que cita o co-fundador Rohan Silva, a empresa já recebeu mais de 500 candidaturas. A fase de candidaturas ao lugar termina a 26 de fevereiro.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
lisboa casas turismo salarios portugal

Taxa de juro do crédito à habitação cai para 1%

Lisboa, 18/02/2020 - Plenário da Assembleia da República - Debate quinzenal com o primeiro ministro.
Primeiro Ministro António Costa com os restantes ministros que compõem o governo.
Jerónimo de Sousa - PCP
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Jerónimo avisa Costa que “sem aumentos salariais” os “problemas vão aumentar”

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (C), acompanhado pelo ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno e pelo presidente da CP, Nuno Freitas (E), na assinatura do contrato de serviço público entre o Estado e a CP, na Estação do Rossio, em Lisboa, 28 de novembro de 2019. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

CP escapa a multas por atraso no contrato de serviço público

Second Home procura country manager para Portugal. Paga entre 80 a 100 mil/ano