retalho

Worten. 44% dos colaboradores aderiram ao programa de flexibilidade no trabalho

Foto: D.R.
Foto: D.R.

A possibilidade de trabalhar remotamente, flexiwork e, depois, o pedido de dias extra são as opções mais usadas pelos colaboradores.

Quarenta e quatro por cento dos trabalhadores em Portugal da Worten aderiram a uma das cinco medidas do programa de flexibilidade do trabalho criado pela cadeia de retalho especializado. Licença sem vencimento, horários mais flexíveis ou teletrabalho são algumas das iniciativas do programa Your Time para permitir um maior equilíbrio entre a vida pessoal e o trabalho.

“Um dos aspetos mais relevantes e diferenciadores deste programa é o facto de ser totalmente inclusivo, na medida em que pode ser utilizado por todas as equipas, quer dos escritórios centrais quer da área das operações e vendas. Ou seja, a nossa prioridade, ao criar este plano de medidas, foi, de facto, aumentar o bem-estar das nossas pessoas, dando-lhes a possibilidade de obterem um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal”, diz Nuno Nascimento Rodrigues, head of people da Worten, citado em nota de imprensa.

O programa Your Time foi lançado em julho do ano passado tendo, em Portugal, 44% dos trabalhadores aderido a uma das cinco medidas.

Trabalho remoto (o colaborador pode desempenhar as suas funções fora das instalações da empresa); flexiwork (colaborador escolhe, de acordo com algumas premissas pré-definidas, o horário de início e de fim do período de trabalho diário); dias extra (colaboradores podem ter, no máximo, cinco dias extra anuais de dispensa, não remunerados.); redução do horário de trabalho (durante um período pré-definido, o colaborador pode exercer a sua atividade profissional em regime de trabalho a tempo parcial) e, por fim, licença sem vencimento Worten (colaborado pode interromper a sua atividade profissional, durante um período mínimo de 30 e máximo de 90 dias, com perda de retribuição) são as medidas previstas no Your Time.

“Até à data, a medida com mais pedidos registados na plataforma é a do trabalho remoto, seguindo-se o flexiwork e, depois, o pedido de dias extra”, informa a cadeia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Foto - Leonardo Negrao

Deco: seguros de saúde não cobrem coronavírus, seguros de vida sim

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Worten. 44% dos colaboradores aderiram ao programa de flexibilidade no trabalho