Coronavírus

Rangel freta voos diretos da China para Portugal

Grupo Rangel
Grupo Rangel

Objetivo da empresa de logística é que as mercadorias "não passem pelo centro da Europa", evitando os atrasos e os bloqueios de carga.

A empresa de logística portuguesa Rangel está a trabalhar para organizar voos fretados diretos da China para Portugal, para que as mercadorias “não passem pelo centro da Europa”, evitando os atrasos e os bloqueios de carga.

“A iniciativa é a de consolidar todas estas necessidades do mercado, obtendo a escala suficiente para a efetivação de voos diretos, dado que estas operações acarretarem custos para os seus utilizadores”, refere a empresa em comunicado.

Devido à crise provocada pela pandemia da Covid-19 assiste-se “a muitos constrangimentos ao nível de aeroportos e fronteiras terrestres”, explica a Rangel Logistics Solutions, sublinhando que esta situação está “a impedir que produtos, materiais e equipamentos essenciais ao bom funcionamento da economia portuguesa” e, em especial na área da saúde, “cheguem a Portugal com a rapidez necessária”.

A empresa decidiu assim “focar todos os seus esforços na procura de soluções”, não só por ser “o seu negócio”, mas porque “são também estes os desafios com que se debate diariamente, hoje ainda mais, o que exige uma responsabilidade acrescida”.

A Rangel refere que tem vindo a contactar e a ser contactada por várias empresas, que necessitam de transportar da China para Portugal, para repor, nomeadamente, stocks e mercadorias comerciais, além da filantropia.

A operação em que está a trabalhar vai permitir uma “expedição mais rápida e direta, evitará todo o tipo de constrangimentos, diminuirá os tempos de trânsito, até porque, grande parte destas mercadorias destinam-se a diversas entidades que necessitam das suas cargas com urgência”, salienta a empresa de logística portuguesa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Paschal Donohoe

Sucessor de Centeno: Irlandês Donohoe surpreende e bate espanhola Calviño

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Défice de 2020 vai ser revisto para 7%. Agrava previsão em 0,7 pontos

Comissário Europeu Valdis Dombrovskis. Foto: STEPHANIE LECOCQ / POOL / AFP)

Bruxelas acredita que apoio a empresas saudáveis estará disponível já este ano

Rangel freta voos diretos da China para Portugal