Retalho Alimentar

Compras da Auchan a fornecedores locais portugueses sobem 13% em 2019

Marcas Jumbo e Pão de Açúcar vão desaparecer e dão lugar à Auchan

A Auchan comprou 6.251 toneladas de produtos a fornecedores locais no ano passado, um aumento de 13,2% face a 2018, disse à agência Lusa a diretora de produto da Auchan Retail Portugal, Filipa Rebelo Pinto.

“A Auchan é militante proativa do local, tudo o que é produção nacional e, especificamente o local, tem sido sempre a aposta da nossa marca. No ano passado fechámos com mais de 6.000 toneladas compradas à produção local e este ano já vamos com um crescimento de 25%”, adiantou Filipa Rebelo Pinto.

Já entre janeiro e abril deste ano, “foram compradas 2.400 toneladas”, mais 25,9% do que um ano antes, acrescentou a diretora de produto da cadeia de retalho Auchan em Portugal.

“Desde há 25 anos que estamos presentes em Portugal e esta tem sido uma batalha e uma conquista que todos os anos tem revelado os seus frutos”, não só em termos de sustentabilidade como reforço da relação “com os nossos parceiros”, apontou.

A Auchan tem um conceito de “produtor local no sentido mais restrito”, que é “50 quilómetros de produção dentro daquilo que é a zona de influência da loja”, explicou a responsável.

“Num sentido mais lato, consideramos também os produtores nacionais com sendo locais”, acrescentou Filipa Rebelo Pinto.

“Mais de 90% das nossas compras são feitas a nível nacional, o que é muito representativo daquilo que é a nossa faturação”, referiu.

A Auchan trabalha com “100 produtores locais, estamos a falar de 700 artigos dentro deste raio de 50 quilómetros”, adiantou a diretora de produto da cadeia de supermercados.

Questionada sobre que tipo de produtores locais, Filipa Rebelo Pinto apontou que é a “área de frutos e verduras”, sendo que a área de produtos frescos é a “mais relevante em termos de faturação”.

Desde “verduras a fruta, temos uma oferta representativa muitíssimo interessante e isso tem sido a nossa área mais desenvolvida”, embora haja também a padaria, pastelaria, talho e peixaria.

Sobre o destino dos produtos comprados a fornecedores locais – para consumo interno ou exportação -, a responsável disse que “essencialmente são para venda nacional, até porque o objetivo é a proximidade da produção”, privilegiando o consumo local.

Filipa Rebelo Pinto confirmou que a Auchan pretende reforçar parceiras, considerando “claramente estratégico”.

Relativamente aos vinhos e azeites, Filipa Rebelo Pinto referiu serem duas áreas de produção nacional que cadeia tem vindo a desenvolver, nomeadamente porque são dois produtos nacionais que o consumidor português prefere.

“Tem vindo a ser reforçado, temos vários grupos com quem trabalhamos”, incluindo associações cooperativas.

Também no caso do peixe, a Auchan tem vindo a comprar o produto “em diferentes lotas a nível local”

Sobre a capacidade de resposta dos fornecedores português, a responsável considerou que a “produção portuguesa, de uma forma geral, é suficiente, quer em termos de qualidade, quer em qualidade para aquilo que é o consumo em Portugal”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Foto: JOAO RELVAS / LUSA

Desemprego registado volta a crescer em agosto, supera 409 mil inscrições

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

AL perdeu quase 3000 casas em Lisboa e Porto. Oferta para arrendar cresce

Manuel Heitor, ministro do Ensino Superior.
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Alunos vão pagar até 285 euros para ficar em hotéis e alojamento local

Compras da Auchan a fornecedores locais portugueses sobem 13% em 2019