Consumo

Consumo de bens eletrónicos atingiu os 682 milhões no primeiro trimestre

como poupar na conta da eletricidade

Análise da GfK revela que a área de bens de consumo eletrónicos cresceu nos primeiros três meses do ano, impulsionada pelos grandes eletrodomésticos.

As vendas de bens de consumo eletrónicos em Portugal tiveram um desempenho positivo nos primeiros três meses do ano, conforme revela a análise da GfK Portugal. Assim, no primeiro trimestre do ano as vendas deste tipo de produtos atingiram os 682 milhões de euros, mais 1,1% em relação ao período homólogo de 2019.

Parte deste período de análise coincide com o início do confinamento em Portugal devido à Covid-19. Como reflexo disto e do maior tempo que os portugueses passaram em casa é notório o crescimento de vendas de áreas como a dos grandes eletrodomésticos (mais 11,1%) e as vendas de pequenos eletrodomésticos (crescimento de 8,6%), que registam as maiores subidas de vendas.

Dentro da categoria dos grandes eletrodomésticos, cuja faturação no primeiro trimestre atingiu os 151 milhões de euros, produtos como as máquinas de lavar e secar roupa registaram um forte crescimento. Na categoria dos pequenos eletrodomésticos a faturação cresceu 8,6% em relação ao primeiro trimestre de 2019, atingindo os 72 milhões de euros. Nesta área foi notório o crescimento das vendas de aparelhos de tratamento de ar, secadores de cabelo ou máquinas de café, avança a GfK.

A passagem para o teletrabalho motivou ainda o crescimento da categoria de equipamentos de escritório e consumíveis, transformando-a na terceira categoria de maior crescimento, com faturação de 29 milhões de euros. A venda de impressoras multifuncionais ganhou importância, conforme já tinha sido revelado pelas análises anteriores da GfK Portugal.

Em sentido contrário, as categorias de eletrónica de consumo, fotografia, tecnologias de informação e telecomunicações registam perdas em relação ao mesmo trimestre de 2019. A área de fotografia regista a maior quebra de vendas, com um decréscimo de 25,7% e uma faturação de seis milhões de euros, a mais baixa da análise. No último trimestre de 2019, por exemplo, a faturação de fotografia era o dobro, situada nos 12 milhões de euros.

A área das telecomunicações, onde estão incluídos os smartphones, registou uma quebra de 1,6%. Ainda assim, representa a faturação mais alta das vendas de bens de consumo, representando 226 milhões de euros.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Consumo de bens eletrónicos atingiu os 682 milhões no primeiro trimestre