Coronavírus

Jogos Olímpicos oficialmente adiados para 2021

(Kazuhiro NOGI / AFP)
(Kazuhiro NOGI / AFP)

Depois de várias pressões e críticas, Japão e o Comité Olímpico Internacional (IOC) chegaram a acordo.

É oficial: após meses de discussões internas e pressão aplicada por vários países e atletas, os Jogos Olímpicos vão ser adiados para 2021, devido à pandemia de covid-19. O Japão e o Comité Olímpico Internacional chegaram a acordo para adiar o evento, que deveria arrancar a 24 de julho, em Tóquio.

O anúncio foi feito esta terça-feira, por Shinzo Abe, o Primeiro-Ministro japonês, pondo fim às dúvidas do mundo desportivo. Durante a declaração, Abe referiu que pediu a Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (IOC), um adiamento do evento por um ano, algo com que Bach terá “concordado a 100%”.

O presidente do IOC já tinha referido que este seria o único caminho para garantir a segurança de todos os atletas. Trata-se de uma séria alteração de discurso, já que na semana passada Thomas Bach considerava que adiar os Jogos Olímpicos de Tóquio não era uma opção. Com este adiamento do evento global, o Comité Olímpico refere ainda que os mais de 10 mil milhões de dólares que o Japão investiu na preparação para os Jogos Olímpicos ao longo dos últimos sete anos não serão desperdiçados.

Esta segunda-feira, um dos membros do Comité Olímpico, Dick Pound, já indicava que a competição deste ano acabaria por ser adiada, tendo em conta as preocupações com o vírus.

A decisão de adiar os Jogos Olímpicos põe fim a uma série de discussões sobre o assunto, que chegou até a incluir a realização das várias competições à porta fechada. Adiar a maior competição desportiva global por um ano representa ainda significativas dificuldades, especialmente para algumas modalidades. Os calendários desportivos terão, consequentemente, de sofrer alterações para incluir esta mudança na data dos Jogos, que continuarão a decorrer no verão de 2021.

O IOC ainda considerou a possibilidade de realizar o evento em 2022, mas essa opção representava ainda maiores desafios logísticos, já que nesse ano o Comité Olímpico Internacional já tem na agenda os Jogos Olímpicos de Inverno, em Pequim, na China. Para 2022 está já marcado o Mundial de Futebol, que disputa audiências com os Jogos Olímpicos.

Esta mudança na data dos Jogos Olímpicos do Japão representa o primeiro adiamento da competição mundial desde a Segunda Guerra Mundial, nota o New York Times. Curiosamente, também deveria ser Tóquio a receber os JO em 1940, mas o conflito global levaria os Jogos até Helsínquia. O evento acabaria por ser cancelado nesse ano, devido à guerra na Europa.

Em declarações à Agência Lusa, na semana passada, o adiamento por um ano dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 poderá custar até um milhão de euros ao Comité Olímpico de Portugal (COP).

Os Jogos Olímpicos reúnem mais de 10 mil atletas oriundos de 200 países.

Também a UEFA adiou o Euro 2020 para o próximo ano, tendo em conta a pandemia global de covid-19. A competição de futebol que junta as seleções europeias deveria arrancar em junho deste ano.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Jogos Olímpicos oficialmente adiados para 2021