Ambiente

Consumo de energia eólica atinge máximo histórico

Fotografia: direitos reservados
Fotografia: direitos reservados

Dentro do espaço europeu, um quinto da energia consumida em três dias do mês de dezembro veio da produção eólica.

Entre os dias 23 e 26 de dezembro, a União Europeia usou energia eólica “suficiente para abastecer 21% do seu consumo médio diário (cerca de 2150 GWh)”, segundo um estudo feito pela WindEurope (Associação Europeia de Energia Eólica).

Este valor, nota a empresa, “equivale a cerca de 17 vezes o consumo de Portugal” ou ainda o suficiente para “alimentar 218 milhões de habitações ou 77 % das necessidades da indústria europeia”.

No total, durante o período em análise, um quinto de toda a energia consumida dentro do espaço europeu adveio de produções eólicas, o que significa um novo marco histórico para este ‘departamento’ do setor energético europeu.

De acordo com a análise feita pela WindEurope, a potência eólica instalada na União Europeia este ano aumentou cerca de 9% (14GW) relativamente ao ano passado, estando agora situada nos 165 GW.

Para os próximos anos, o estudo antevê que, em 2020, ainda dentro do espaço europeu, “as centrais eólicas onshore e offshore, sejam a tecnologia renovável com o maior acréscimo de potência (50 GW), seguido das centrais fotovoltaicas, (35 GW)”.

No que diz respeito ao mercado português, as centrais eólicas produzem, anualmente, perto de 1/4 das necessidades elétricas nacionais, o que se traduz numa redução as importações de combustíveis fósseis em mais de 350 milhões de euros por ano.

A WindEurope nota ainda a potencialidade deste setor, destacando a capacidade para a criação de “um cluster industrial responsável por mais de 22 mil empregos (diretos e indiretos) e por uma exportação de equipamentos que ascende a quase 400 milhões de euros por ano”.

 

 

 

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
Consumo de energia eólica atinge máximo histórico