Taxa de proteção civil

Lisboa ainda tem de devolver 14 milhões da taxa de proteção civil

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens
Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Fotografia: Orlando Almeida/Global Imagens

A Câmara de Lisboa já pagou 76% da taxa de proteção civil, mas tem ainda de devolver 14,3 milhões, sobretudo a pessoas que não consegue contactar.

Mudanças de morada e ausência de IBAN estão entre as situações que estão a fazer com que a Câmara não tenha conseguido ainda devolver a totalidade da taxa de proteção civil.

Na sequência de uma declaração de inconstitucionalidade desta taxa, a autarquia teve de devolver aos munícipes cerca de 60 milhões de euros. Deste total, 44, 2 milhões já estão pagos. Mas a Câmara de Lisboa tem registado algumas dificuldades em fazer chegar o dinheiro às pessoas cuja taxa lhes foi devolvida por carta-cheque, mas que entretanto mudaram de morada.

A estas situações somam-se as dos residentes dos proprietários de casas situadas em Lisboa, que tem a receber valores acima de 5 mil euros e que, por esse motivo, são pagos via transferência bancária. Mas também neste caso é necessário que estas pessoas façam chegar o seu IBAN à Câmara e ainda nem todas o fizeram.

Nos cerca de 14, 3 milhões de euros que faltam ainda devolver, incluem-se também aquelas pessoas que deixaram passar os 30 dias que tinham para depositar a carta-cheque – e que entretanto fizeram chegar a Câmara que pretendem uma segunda-feira – e há ainda um grupo de munícipes que tinha dividas em execução fiscal e que a Câmara aproveitou para fazer um encontro de contas com a devolução desta taxa.

“Há um conjunto de devoluções que não se concretizaram, porque as pessoas já não residem na mesma morada”, precisou esta segunda-feira o vereador com o pelouro das Finanças na Câmara de Lisboa, João Paulo Saraiva, durante a apresentação das contas da Câmara de Lisboa relativas a 2017. João Paulo Saraiva referiu, por isso, que “estamos a aguardar que estes contribuintes se manifestem e nos façam chegar a sua morada, porque não temos forma de os encontrar”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Função pública perdeu 70 mil trabalhadores desde 2011

Função pública recupera 155 euros por mês em quatro anos

António Costa, primeiro-ministro, numa empresa em Paredes de Coura. Fotografia: Estela Silva/LUSA

Consumo privado deve continuar a ajudar, mas há dúvidas no investimento

Paddy Cosgrave, CEO e fundador da Web Summit. Fotografia: Orlando Almeida / Global Imagens)

Paddy Cosgrave: “Se o Governo português pedir, cancelaremos o convite a Le Pen”

Outros conteúdos GMG
Lisboa ainda tem de devolver 14 milhões da taxa de proteção civil