Ambiente

Tecnologia consegue adiar 21 dias o Dia da Sobrecarga do Planeta

Foto: DR
Foto: DR

Diz a Schneider Electric que se 100% dos edifícios estiverem equipados com tecnologias de eficiência energética seria possível adiar a data em 21 dias

Esta quarta-feira, 1 de agosto, é o dia em que a Humanidade esgota os recursos ecológicos de todo o ano. Calculado pela primeira vez em 1986, o chamado Dia da Sobrecarga do Planeta marca assim o momento em que a procura por recursos naturais excede a capacidade que o planeta tem de se regenerar, de forma natural, num ano inteiro.

No entanto, e de acordo com o estudo “Living with Finite Resources: Strategies for sustainable resource utilization”, a empresa tecnológica Schneider Electric garante que a implementação de novas tecnologias e o maior recurso a energias renováveis são as medidas de negócio que as empresas pode adotar e que podem fazer com que a data seja adiada, pelo menos 21 dias.

O estudo analisa as possibilidades existentes para o desenvolvimento sustentável das empresas, propondo soluções que permitam um crescimento sustentável que equilibre a produtividade e a rentabilidade com o planeta e os seus habitantes. Os avanços tecnológicos, a inovação, a aposta cada vez maior na economia circular e nas fontes de energia renováveis são os principais agentes da mudança que a Schneider Electric aponta no seu estudo para conseguir reduzir a pegada ecológica das empresas. Neste sentido, a empresa francesa aposta em soluções como plataformas conectadas, abertas e interoperáveis, que podem contribuir com 50% de eficiência energética adicional, assim como reduzir os custos de energia em 30%.

“A Schneider Electric acredita que esta situação é reversível. A empresa calculou que se 100% dos edifícios, fábricas, e infraestruturas de data centers existentes estiverem equipados com tecnologias de eficiência energética e a sua principal fonte forem as energias renováveis, seria possível adiar esta data em pelo menos 21 dias”, refere a empresa em comunicado.
A Schneider Electric estabeleceu um acordo internacional com a Global Footprint Network, uma organização mundial pioneira ao nível da investigação e medição da pegada ecológica. De acordo com os cálculos desta organização, a Humanidade explora o equivalente a 1,7 planetas por ano devido à sobre exploração dos recursos naturais, entre eles a sobrepesca, a desflorestação e a emissão de mais dióxido de carbono do que a atmosfera pode absorver. A Global Footprint Network assegura que, se cada pessoa conseguir adiar a sua data pessoal em 5 dias, a terra poderia regressar ao seu estado inicial em 2050.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Tecnologia consegue adiar 21 dias o Dia da Sobrecarga do Planeta