OE2019

Funcionários públicos com aumento médio de 121 euros em dois anos

Ministro das Finanças, Mário Centeno. 
(Filipe Amorim/Global Imagens)
Ministro das Finanças, Mário Centeno. (Filipe Amorim/Global Imagens)

O ministro das Finanças sublinha que se trata da primeira valorização da Função Pública dos últimos 10 anos. Mantém 50 milhões para aumentos em 2019.

O ministro das Finanças prevê um aumento médio de 121 euros em 2018 e 2019 por força das progressões e promoções previstas para estes dois anos. Este ano, a valorização média será de 68 euros, já em 2019, esse valor será mais modesto, de 53 euros.

Ao todo são 800 milhões de euros que as Finanças reservaram para esta medida e que Mário Centeno referiu tratar-se do reflexo “da enorme aposta nos funcionários públicos”, referindo que “estão a ser descongelados nove anos de carreiras em dois anos civis.”

Na conferência de imprensa, no Ministério das Finanças, Mário Centeno sublinhou que em média corresponde a um aumento de mais de 3%, lembrando que “é o maior incremento salarial da Administração Pública portuguesa da última década.” Um “esforço enorme sobre as remunerações dos funcionários públicos”, conclui o ministro das Finanças.

50 milhões para aumentos

Mário Centeno insistiu que os aumentos salariais para 2019 estão limitados a 50 milhões de euros e não mais do que isso. Quando questionado sobre quem serão os beneficiados por esta valorização, o ministro das Finanças remeteu a fórmula para a discussão no Parlamento.

Em causa está uma solução que poderá beneficiar os salários mais baixos dos funcionários públicos, mas que já foi rejeitada pelos parceiros do Governo. Tanto Bloco de Esquerda como PCP já disseram que os aumentos salariais são para todos os funcionários.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

A presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, conversa com o presidente e CEO da PTT Exploration and Production (PTTEP), Phongsthorn Thavisin durante a conferência de imprensa de anúncio da venda da Partex à empresa tailandesa, na sede da fundação em Lisboa
TIAGO PETINGA/LUSA

Gulbenkian vende negócio do petróleo e gás. Onde vai investir agora?

Fotografia: D.R.

Deficiência. Peritos aconselham troca de benefícios fiscais por outros apoios

Outros conteúdos GMG
Funcionários públicos com aumento médio de 121 euros em dois anos