EUA

Democratas conquistam Câmara dos Representantes

A onda anti-Trump acabou por não se declarar como esperado. Fotografia: D.R.
A onda anti-Trump acabou por não se declarar como esperado. Fotografia: D.R.

A Câmara dos Representantes dos EUA esteve, nos últimos oito anos, nas mãos dos republicanos

A líder democrata na Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, assegurou que “amanhã será um novo dia” para o país depois do seu partido conquistar a maioria naquele órgão do Congresso dos EUA aos republicanos nas eleições intercalares norte-americanas.

Pelosi, que deverá ser a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA depois de oito anos nas mãos dos republicanos, destacou que a conquista dos democratas não deve ser vista pelo prisma das diferenças partidárias, mas como uma vitória “para conservar os valores constitucionais” dos Estados Unidos.

“Com esta nova maioria democrata, vamos honrar os valores de nossos pais fundadores”, sublinhou a congressista da Califórnia no seu discurso de vitória.

As declarações de Pelosi surgem depois do Presidente dos Estados Unidos ter classificado a noite eleitoral de um “tremendo sucesso”, numa reação ao facto de os resultados darem aos republicanos o controlo do Senado por mais dois anos, que contraria as expetativas dos democratas de uma onda anti-Trump que lhes garantisse uma maioria.

Em algumas das eleições intercalares nos Estados Unidos está em jogo a real base de apoio do Partido Republicano do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, numa votação em que são escolhidos congressistas, senadores e governadores em 36 estados.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Democratas conquistam Câmara dos Representantes