Zona Euro

Líderes dos 27 da UE dão luz verde para a criação de orçamento da zona Euro

Emmanuel Macron, Presidente de França, com Angela Merkel, Chanceler da Alemanha. EPA/OMER MESSINGER
Emmanuel Macron, Presidente de França, com Angela Merkel, Chanceler da Alemanha. EPA/OMER MESSINGER

A criação de um orçamento comum para a zona Euro é uma proposta franco-alemã.

Os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) acordaram hoje uma reforma da zona Euro, incluindo a criação de um orçamento para os países da moeda única europeia, divulgaram a chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron.

A criação de um orçamento comum para a zona Euro é uma proposta franco-alemã.

“Deve haver um orçamento da zona Euro” no âmbito das reformas da zona da moeda única europeia hoje acordadas, afirmou a líder alemã, numa conferência de imprensa realizada após a reunião de dois dias do Conselho Europeu em Bruxelas.

A reunião dos chefes de Estado e de Governo dos 27 da UE “marcou a criação de um orçamento para a zona Euro com a inscrição deste objetivo e um claro mandato dado aos ministros [das Finanças] sobre este assunto”, referiu, em outra conferência de imprensa, o Presidente francês.

“Há um ano muitos consideraram que era impossível. Nas últimas semanas conseguimos convencer os nossos parceiros mais relutantes”, acrescentou Macron.

O objetivo é alcançar um acordo em junho de 2019 sobre as características essenciais deste orçamento, que será incluído no orçamento da UE.

Entre os outros pontos da reforma da zona euro acordados hoje pelos 27 figura também um reforço do papel do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE), o dispositivo europeu de gestão das crises financeiras da zona euro que substitui desde 2012 o Fundo Europeu de Estabilidade Financeira e o Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira, que tinham sido criados em resposta à crise da dívida pública na zona Euro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Líderes dos 27 da UE dão luz verde para a criação de orçamento da zona Euro