Energia

Barragens no Tâmega já vão a meio, Iberdrola já investiu mais de 770 milhões

Iberdrola (5)

Este projeto, com uma potência instalada de 1.158 megawatts, representará, quando construído, 6% da potência instalada em Portugal.

“Em desenvolvimento desde 2014, o Sistema Eletroprodutor do Tâmega, encontra-se muito próximo dos 50% de obra concluída, estando previsto que esse marco seja alcançado durante o mês de abril. Para já, 45% da obra, a nível global, está terminada, o que segue o programa previsto”, informou esta quinta-feira a Iberdrola em comunicado. O projeto é composto por três centrais hidroelétricas – Gouvães, Daivões e Alto Tâmega.

Até 2023, terá sido concluído o investimento total previsto de 1.500 milhões de euros, dos quais mais de 50% foram investidos até ao final de 2018 (770 milhões de euros). Este projeto, com uma potência instalada de 1.158 megawatts, representará, quando construído, 6% da potência instalada em Portugal. Para além disso, evitará a importação de mais de 160.000 toneladas de petróleo por ano e a emissão de mais de 1,2 milhões de toneladas de CO2 por ano.

Individualizando, a central hidroelétrica de Gouvães é subterrânea e alberga quatro turbinas reversíveis com 220 megawatts cada. Aqui, o progresso do aproveitamento é de 55%, estando o início da operação comercial previsto para dezembro de 2021, garante a Iberdrola.

Já em Daivões, cujo início de operação também está previsto para dezembro de 2021, a barragem tem já colocado cerca de 60% do volume total de betão (242.000 m3), prevendo-se que a betonagem esteja terminada no final do verão. No rio, a jusante da barragem, estão em curso algumas intervenções, designadamente, o reperfilamento do rio e da pista de pesca, trabalhos que estarão concluídos no final do verão do próximo ano.

No Alto Tâmega, cujo início dos trabalhos teve lugar em março de 2017, está colocado em serviço, desde outubro do ano passado, o túnel de desvio do rio, com uma extensão de 250 metros. Das estruturas definitivas do empreendimento, está concluído o túnel de acesso à central (480 metros), assim como as escavações e contenções da barragem, tomada de água e descarregadores laterais. Já as escavações e contenções da central estão com um desenvolvimento de 86%, num volume acumulado de 55.000 m3. O aproveitamento hidroelétrico de Alto Tâmega tem a conclusão dos trabalhos civis prevista para 2021, tendo início nesse ano os trabalhos de montagem das duas turbinas da central. A operação comercial está prevista para dois anos depois: 2023.

Atualmente, trabalham de forma direta na obra do Sistema Eletroprodutor do Tâmega cerca de 1.800 pessoas, perto 370 com origem nos municípios em volta do projeto. Para além disso, mais de 75 empresas portuguesas e 30 empresas locais participam ou já participaram no projeto, diretamente contratadas pela Iberdrola.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE. Fotografia: EPA/Andrzej Grygiel

OCDE pede mais proteção da contratação coletiva

Outros conteúdos GMG
Barragens no Tâmega já vão a meio, Iberdrola já investiu mais de 770 milhões