Turismo

Dormidas no Porto e Norte de Portugal crescem 12,4% em abril

Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal. Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens
Luís Pedro Martins, presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal. Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens

Região espera atingir este mês "resultados históricos" no turismo. Rally de Portugal, Liga das Nações e festas populares impulsionam dormidas

A região do Porto e Norte de Portugal registou, em abril, um aumento nas dormidas totais de 12,4%, correspondendo a 884 mil dormidas, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Já os proveitos totais apresentaram um incremento de 12%. De acordo com o INE, verificou-se em abril uma subida acentuada do número de turistas espanhóis, que rondou os 60%.

A estada média no território também cresceu, embora de forma mais moderada, situando-se agora em 1,83 noites. No indicador RevPar, o Porto e Norte atingiu-se os 42,4 euros em abril, o que traduz um aumento de 5,2. A variação do RevPar foi positiva em quase todas as tipologias e respetivas categorias. A Páscoa, que este ano foi celebrada em abril, contribuiu positivamente para esta performance.

Luís Pedro Martins, presidente do Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), realça que “o trabalho de promoção e divulgação do destino, que tem sido muito forte junto do mercado espanhol, nomeadamente com a participação da TPNP em todas as feiras do setor realizadas desde o início do ano no país vizinho e os resultados estão à vista” também impulsionaram este crescimento.

Para o responsável é clara “a liderança da região no ranking de dormidas nacionais entre janeiro e abril deste ano”, fruto de um trabalho de promoção do destino que tem sido feito junto do mercado nacional, com a participação em feiras da especialidade, bem como a apresentação de um conjunto de ofertas integradas capazes de conquistar mais turistas para o Porto e Norte.

Luís Pedro Martins admite que a região pode “vir a ter resultados históricos muito em breve”, dado os altos índices de ocupação hoteleira registados com o Rally de Portugal, a Liga das Nações e as festas populares que se avizinham.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Mina de carvão perto da cidade de Oaktown, Indiana, Estados Unidos. (EPA/TANNEN MAURY)

Capacidade de produção de carvão caiu pela primeira vez

Dormidas no Porto e Norte de Portugal crescem 12,4% em abril