União Europeia

António Costa preocupado com “canto de sereia” do ministro do Interior de Itália

EPA/ARIS OIKONOMOU
EPA/ARIS OIKONOMOU

O primeiro-ministro mostrou-se preocupado com a permeabilidade do Partido Popular Europeu “ao canto de sereia” de Matteo Salvini

O primeiro-ministro, António Costa, mostrou-se preocupado com a permeabilidade do Partido Popular Europeu “ao canto de sereia” de Matteo Salvini e do grupo de Visegrado, assumindo esperar que o compromisso alcançado esta terça-feira reforce Angela Merkel.

Em conferência de imprensa, após a conclusão do Conselho Europeu, António Costa reconheceu que a dificuldade sentida pelos líderes dos 28 para fechar a negociação sobre o ‘pacote’ das nomeações para os altos cargos da União Europeia “seguramente não é bom sinal”, e revelou a sua apreensão com os efeitos do “canto de sereia” de Salvini, ministro do Interior de Itália, e do grupo constituído por Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia.

“O que acho que é verdadeiramente mais preocupante naquilo que aconteceu ao longo destes dias é constatar a fragmentação interna numa das grandes famílias políticas e a sua fragilidade e permeabilidade à pressão de minorias de bloqueio. Isso é mesmo o fator mais preocupante para o futuro da Europa. Espero que esta solução tenha, pelo menos, o mérito de reforçar quem nessa família política, ao longo de mais de uma década, tem assegurado a capacidade de ser um motor positivo na construção do projeto europeu”, disse, referindo-se à chanceler alemã, Angela Merkel.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

António Costa preocupado com “canto de sereia” do ministro do Interior de Itália