Tecnologia

Aveiro Tech City é a nova marca da Veneza portuguesa

Aveiro vai ter moliceiros elétricos. Foto: D.R.
Aveiro vai ter moliceiros elétricos. Foto: D.R.

A eletrificação de mais de 30 moliceiros e a instalação e postos de abastecimento nos canais foram outras das novidades apresentadas no evento.

Aveiro, a Veneza portuguesa, tem uma nova marca: Aveiro Tech City. É com esta designação que, a partir de agora, vão passar a ser comunicadas todas as iniciativas do Aveiro STEAM City, projeto que visa fazer da cidade um município inteligente e sustentável, com grande parte desta transformação digital a assentar na tecnologia 5G.

A novidade foi apresentada ontem (quinta-feira) pelo presidente da autarquia, José Ribau Esteves, no âmbito do Aveiro Techdays, evento que decorre até domingo e que vai animar a cidade com os mais de 100 expositores, seis centros de ciência, 40 oradores, seis conferências e três torneios de gaming.

A eletrificação de mais de 30 moliceiros, no âmbito do projeto Tech City, e a instalação e postos elétricos de abastecimento ao longo dos canais foram outras das novidades apresentadas no evento.

Para atingir o objetivo de cidade inteligente foram ainda lançadas duas ações na área da formação, o TechCity Bootcamp e a Criatech Residences.

O Aveiro Tech City Bootcamp integra três programas de formação para 20 pessoas de cada vez, com uma taxa de empregabilidade de 90%. São 14 semanas de formação em contexto de aula e mais 14 semanas de prática em empresas com sede em Aveiro.

O programa é dirigido a desempregados, estudantes a concluir o ensino secundário e do ensino superior, profissionais à procura de novas oportunidades de carreira e/ou empregos com melhor remuneração.

A Criatech Residences dirige-se a estudantes ou profissionais de áreas criativas (design, arte ou novas tecnologias da comunicação) para colaborar com empresas de base tecnológica na procura de soluções e/ou produtos inovadores. O projeto aponta para a implementação de duas residências artísticas, uma em 2020 e outra em 2021.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
The World Economic Forum, Davos
Fabrice COFFRINI/AFP

Líderes rumam a Davos para debater a nova desordem mundial

Mário Centeno

Privados pedem ao Estado 1,4 mil milhões de euros em indemnizações

Luis Cabral, economista.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Luís Cabral: “Pobreza já não é só ganhar 2 dólares/dia”

Aveiro Tech City é a nova marca da Veneza portuguesa