Coronavírus

Non Basta quer medidas práticas, simples e apoios exequíveis para a restauração

Fotografia: Manuel de Almeida/EPA
Fotografia: Manuel de Almeida/EPA

O grupo de restauração Non Basta, que detém quatro restaurantes e emprega 80 pessoas, apela ao fim da burocracia no apoio ao setor da restauração.

Numa carta aberta ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, ao Primeiro-ministro, António Costa, e ao ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, o grupo solicita medidas práticas, simples e apoios exequíveis e dinâmicos sob pena de “ver agravadas as ameaças na saúde e na economia e de as famílias que tanto prezamos serem postas em risco”.

“Para tudo correr bem, temos de conseguir fazer mais e melhor para parar esta pandemia e salvar todas as vidas que podemos, não só as de hoje e de amanhã, como as das próximas semanas, meses e anos. Temos a saúde das pessoas e da sociedade nas nossas mãos”, pode ler-se na comunicação assinada por António Oliveira e Silva, diretor e sócio do grupo .

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Non Basta quer medidas práticas, simples e apoios exequíveis para a restauração