Hotelaria

2020 com 51 novos hotéis e 9 remodelações

Hotéis

Norte do País será a região com maior crescimento de unidades. Gestores temem crescimento excessivo do número de camas

Este ano, a Associação da Hotelaria de Portugal estima que abram 51 novos hotéis e nove unidades sejam alvo de remodelação. O maior crescimento vai verificar-se no Norte do País onde o levantamento da AHP aponta para 18 novas unidades e 5 remodelações.

“À partida temos um abrandamento das intenções”, destacou Cristina Siza Vieira, presidente executiva da associação que representa os hoteleiros portugueses.

Ainda que o Norte seja a região com mais novos hotéis, em Lisboa estimam-se 14 novas unidades a nascer este ano; um hotel será reabilitado na cidade, revelam os dados divulgados esta quarta-feira.

No Centro do País haverá seis novas unidades hoteleiras, a que se junta 1 remodelação. No Alentejo não haverá reabilitação de unidades existentes embora se prevejam 5 novos hotéis. No Algarve contam-se 3 novos projetos e 1 remodelação. Açores e Madeira terão três e duas novas unidades, respetivamente, revela a entidade.

A forte expansão do número de unidades hoteleiras no norte do país coincide com um temor levantado pelos hoteleiros que, consultados pela AHP sobre os maiores constrangimentos que prevêem para 2020, revelam receios sobre “o crescimento do número de camas” – este receio está relacionado não apenas com as novas unidades mas também com a forte expansão do segmento de alojamento local que tem feito explodir a oferta de alojamento no País, desde que em 2014 foi legislado.

Por oposição, nas restantes regiões portuguesas, os maiores receios relacionam-se, antes, com o abrandamento da economia europeia, Brexit e contração da economia do Reino Unido, bem como a escassez de Recursos Humanos, que tem vindo a assolar os vários segmentos do turismo, especialmente a hotelaria e a restauração.

No ano passado por esta altura a AHP estimava a abertura de 65 hotéis, mas a contagem final da associação apurou apenas 24 aberturas efetivas. Cristina Siza Vieira, presidente da AHP, destaca que a diferença tem várias razões, desde atrasos em licenciamentos ou obras e, até, desistências.

“Ainda hoje me falaram de uma unidade que estava prevista para 2019 e, afinal, só abrirá em 2021”, exemplificou numa apresentação onde foram apontados resultados e expectativas para a hotelaria em 2019 e 2020.

Apesar da constante abertura de novas unidades hoteleira, e de alojamento em geral, os profissionais da hotelaria acreditam que 2020 será um ano de crescimento. A partir de um inquérito feito aos hoteleiros das várias regiões do país, a AHP apurou que “a receita total deverá melhorar em todas as regiões”, havendo boas expectativas para os segmentos de citybreak, especialmente nas regiões de Lisboa, Norte e Centro do País. O segmento de MICE, ou seja, do turismo que provém de congressos, a expectativa também é elevada, especialmente nas zonas de Lisboa, Norte e Algarve.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O presidente do Novo Banco, António Ramalho, discursa na cerimónia de lançamento do Projeto de Divulgação Cultural do Novo Banco. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Bruxelas. Novo Banco custa mais 0,3% do PIB em 2020, vírus não se sabe

O ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira. TIAGO PETINGA/LUSA

Linhas de crédito abertas a todos os setores a partir de hoje

DR

Agricultura prepara recrutamento de trabalhadores em lay-off

2020 com 51 novos hotéis e 9 remodelações