Impostos

4 milhões já entregaram o IRS. Faltam 1,4 milhões de declarações

irs

O prazo para a entrega do IRS começa a entrar em contagem decrescente mas 27% dos contribuintes ainda não submeteram a declaração.

O Portal das Finanças já recebeu mais de 4 milhões de declarações de IRS desde que arrancou o prazo para o cumprimento desta obrigação. As cerca de 1,4 milhões que faltam, têm duas semanas para serem entregues.

irs

Depois do atropelo observado nos primeiros dias de abril – em que o acesso ao Portal das Finanças registou alguns bloqueios pontuais – o processo de entrega do IRS passou para um ritmo semelhante ao observado em anos anteriores. Ainda que as queixas sobre o acesso ao site tenham deixado de se ouvir, são ainda muitos os contribuintes que pelas redes sociais vão manifestando a sua dificuldade em preencher a declaração nomeadamente no que diz respeito à composição do agregado familiar.

Este ano, foi pela primeira vez pedido aos contribuintes que atualizassem o seu agregado familiar (alterações de estado civil, nascimentos de filhos e alterações de morada) no Portal das Finanças. O prazo para o fazerem terminou a 15 de fevereiro, mas nem todos se aperceberam da medida, o que está a gerar alguns problemas no reconhecimento das despesas ou opção pela entrega em conjunto.

Este ano o número de contribuintes abrangido pelo IRS automático foi alargado, chegando a cerca de 3 milhões de agregados familiares e este é um dos motivos para que por esta altura estejam entregues já quase três quartos das declarações.

O Ministério das Finanças não tem divulgado informação sobre o pagamento dos reembolsos, mas no início da campanha foi sinalizada a intenção de manter a rapidez registada no ano passado.

O prazo para a entrega do IRS termina no dia 31 de maio, sendo que, nesse dia, as declarações do IRS automático que não tiverem sido validadas, transformam-se em definitivas e são dadas como entregues.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
José Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Fotografia: Jorge Amaral/Global Imagens

Reformas. Governo quer normalizar pagamentos até ao final do ano

O primeiro-ministro, António Costa, discursa durante um encontro com empresários a trabalhar em Angola, em Luanda, Angola. O primeiro-ministro termina esta terça-feira, uma visita oficial de dois dias a Angola, durante a qual procurará retomar rapidamente os níveis anteriores a 2014 nas relações económicas e normalizar os contactos bilaterais político-diplomáticos. (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

Costa: Portugal deseja mais empresas e investidores angolanos no país

Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência. REUTERS/Yves Herman

Bruxelas suspeita de cartel alemão na tecnologia de emissões

Outros conteúdos GMG
4 milhões já entregaram o IRS. Faltam 1,4 milhões de declarações